Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Meia noite e meia!
 
Resultado de imagem para medo noturno na mata
 
 Já passam da meia noite e volta-se a ouvir-se o mesmo grito estridente, aterrorizante e tenebroso de todos os dias, num atalho de estrad, que pareciam querer revelar algo.
 Era o caminho diário de José Salvador na ida para o seu trabalho e sempre que ele por lá passava o seu medo misturava-se a uma sensação de que alguma coisas precisava ser desvendada.
 ...de costume, José, sempre com seu rosário em mãos pedia proteção e saúde para si a enfrentar mais uma noite de trabalho, sem nunca esquecer-se de pedir por sua família e também por todos, conhecidos ou não...
 Qualquer outra pessoa que ouvisse estes sons provavelmente assustar-se-ia, mas para ele era soava diferente com se fosse um clamor de socorro, ou algo parecido.
 Por meses e meses tentava decifrar este mistério sempre que adentrava o matagal. Inevitável, pois era seu itinerário obrigatório.
 Na verdade outro trajeto sim existia, porém o percurso que já era longo (cerca de 6 quilômetros de sua casa), estender-se-ia por mais 4..., feito parcialmente com sua bicicleta e a pé inclusive, por longas distâncias em virtude de ser um solo acidentado, com subidas e descidas bruscas, íngremes e perigosas. Ossos do ofício, já que não dispunha de posses para ter um veículo motorizado no momento!
 Dia após dia tinha a sensação de que precisava intervir e desvendar aquela espécie de enigma desconfortável, diria arrepiante aos ouvidos de qualquer um, mas sem saber explicar era uma questão de honra e necessidade sua intervir.
 Apenas para sua mãe e para sua esposa José dividia este segredo, pois não desejava amedrontar seus filhos.
 Ambas temiam por sua segurança depois de saber deste fato, mas ele sem saber explicar, as tranquilizava com uma frase a qual repetia diariamente:
 -
“Sinto que alguma coisa precisa ser feita e tem que ser por mim”!
 Homem de coragem, sobretudo muita fé e simplicidade, era ele!
 Numa dessas noites, José vinha normalmente como de costume e sentiu algo tocar-lhe os ombros.
 ...logo parou de caminhar, virou-se para trás e nada viu num primeiro instante.
 ...continua a caminhar e pela segunda, poucos metros à frente senti tocar-lhe novamente os ombros, porém com mais veemência e desespero, podemos assim considerar!
 Desta vez, apesar de ainda não enxergar nada de concreto a seu redor, tem ele a certeza do que fazer.
 Sem saber explicar ele pede que fosse manifesta a vontade daquilo ou de quem o tocara.
 Mas, exigiu que fosse dita e de forma clara, deixando bem entendido que só pretendia ajudar quem quer que tão desesperadamente, pedia por sua ajuda.

Não demora... e uma voz trêmula, chorosa e transtornada faz um pedido a José envolto a um rápido resumo comovente de vida, visto que era puro o seu coração e grande sua fé...

[Meu nome é Bartolomeu! Vivi por estas terras por muitos e muitos anos e era um rico e poderoso fazendeiro. Tinha centenas de cabeças de gado, plantava de tudo que você possa imaginar, mas abandonei minha esposa e filhos, expulsando-os de minhas terras sem um vintém, sequer!
Me amaziei com outra mulher e alguns anos depois fiquei muito doente!

Hoje vivo penando e não tenho mais paz de espírito depois que parti deste mundo.
Você tem o que eu nunca tive, fé e amor por sua família, pois sempre escuto em suas orações e pedidos de preces para que Deus interceda pelo seu trabalho e pelos seus que ficaram em casa.
Ah! Suas preces como são para todos, me tocou também e por isso venho lhe acompanhando, por todos os dias que passas por aqui.

Se permitir quero lhe fazer um pedido!
- Vá até o outro lado do rio, passe um recado meu para meus filhos que moram ainda por lá.
Diga-lhes o seguinte (
meu filho mais velho, que também se chama José vai entender bem esse meu recado):
No dia de amanhã, nesta mesma hora que ele venha a este exato lugar com ferramentas, cavando até encontrar um grande baú.
Ah mais uma coisa, por favor venha com ele para não se sentir só e receoso e adianto que só vocês poderão encontrar o que está aqui enterrado!]

 
Adianto que o que vão encontrar será de muito valor para vocês e mais ainda para mim, pois será o meu pedido de perdão e o sobretudo o meu descanso eterno!


CONTINUA...


 
 
Marcosvi
Enviado por Marcosvi em 12/07/2019
Reeditado em 12/07/2019
Código do texto: T6693960
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcosvi
Siderópolis - Santa Catarina - Brasil
1191 textos (23675 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/07/19 16:21)
Marcosvi

Site do Escritor