Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A CONSULTA DA TILDES


Esta é uma obra de ficção e os aspectos apresentados são mera coincidência.
A CONSULTA DA TILDES

- Sobe! Mais uma vez, mas que diacho!!!!!!!!
Seu Conrado estava irritado naquele dia. Pudera, depois que souberam que o Quevara era amigo do D.Calú, foi um Deus nos acuda. O elevador não parava e os inquilinos já começavam a dar sinais de impaciência detectados lá na Portaria.
Quevara entra no prédio com Seu Chico, que havia encontrado na esquina, e , no corredor, quase foram literalmente atropelados por uma senhora que saía esbaforida do elevador.
- Ei, o que pása, que pása?
- Nada, me desculpem. Ando tão transtornada que nem vi direito. Me desculpem, me desculpem.
- Ah! bom.
- O senhor não é o Quevara, o psiquiatra que...........
- Si, si, si. Mas que quieres de mí?
- Cuidado com ela, Quevara, confidenciou baixinho Seu Chico.
- Seu Quevara. Eu quero uma consulta, mas o meu marido não pode saber. Se ele souber me mata. Mas agora tá em Brasília...e tu andas com esse burguês aí, referindo-se ao Seu Chico falou a mulher num tom meio ameaçador.
- Sim, o teu marido que anda em carro importado, usa os melhores ternos conseguidos às custas de ações contra o Estado, viaja de primeira classe, e agora está no Governo, por cima  o burguês sou eu. Olhe para seu umbigo...
- Cuidado, Quevara, Olhe lá, hein...disse Carlassi, que chegava do trabalho sentindo o clima.
- Cuida de ti, dondoca capitalista.
- Eu, hein, ainda quero te ver engolir esse falso marxismo que tu e o teu marido propõem. Vi ele na TV outro dia com aquela cara de debochado e pelo que entendi já mandou às favas tudo que pregava. Agora é vidraça, santa.
- Pois sim.
- Olha, dona Espoletildes..
- Sou a Tildes, ..
- Ah, ela não gosta de ser chamada pelo nome próprio, Quevara., fala Seu Chico.
- Não , e daí? Retruca Tildes
- Bom, diga ao seu marido que ainda mantenho a minha promessa ( Seu Chico prometeu dar umas porradas no Estefânio Bilel, marido da dita cuja, a título de ressarcimento).
A propósito, Seu Chico era o síndico do prédio, mas se autodenominava Cínico do prédio. Era um militar aposentado, e gremista fanático, que não gosta de vermelho- flamenguista, colorado e comunista comigo é na porrada- seguidamente dizia. Mas suas filhas, duas gêmeas, Junia e Júlia, diziam que era só da boca para fora, pois como evangélico convertido não poderia agir assim. Era só aleluia pra cá,  aleluia pra lá. Com o dinheiro da aposentadoria mal conseguiu comprar sua meia água, o TC (o Karman Guia laranja) ainda roda, poupança curta e ainda era chamado de burguês pelo mais rico do prédio. Que destino depois de prestar inúmeros serviços à Pátria. Sua luta diária era contra o morador do 3ºandar e marido da Espoletildes que detinha 15 procurações e decidia sempre as assembléias do prédio. Aquela velharada não quer saber de nada e entrega tudo prá aquele canalha. Mas não vai ficar assim.  O MUTUKA( o japonês dono de todo o 6ºandar) é meu amigo e vamos resolver isso. Vai ser duro , pensou ao lembrar que já teve uma rusga com o japonês quando este comprou o andar de uns portugueses e transformou-os em  quase uma dezena de JKs. Mas tudo pelo social....
Mas Tildes ainda insistia com Seu Chico.
- Quando ele voltar de Brasília, depois de acertar a vida de muito capitalista corrupto e de uns burgueses exploradores do povo que conhecemos...ele é importante agora, viu, cuidado com o que pensas em fazer, oh, opressor dos inquilinos.
- Mas que discussão é essa agora? Interrompe Quevara
- Sim, Quevara, esse capitalista opressor está me intimidando.
- Si, si, si, doña Espoleta..
- Tildes...
-    Ah, si , Espoletildes..
- Não, Tildes..
- Ah, bom. Mas que desea ustedes, afinal?
- Uma consulta, privada, Quevara.
- Si, Si, en la privada?
- Não, seu Quevara.
- A si, entiendo. Quieres urgencia o privacidad?
- As duas se possível.

Quevara deu o endereço e despediram-se. Carlassi , que estava perto, com seu olhar fatal,  sempre mal intencionada, como dizia João, arregalou os olhos e lascou:
- Quevara, não sabes com quem estás te metendo. Muito cuidado. Essa não é só espoleta no nome. Tens de colocar uns quatro dias na panela de pressão para amaciar. Cuidado, hein.....
      - Deixa comigo, Carlassi.
Dias depois, na hora marcada, sem a presença da gringa, lá estava a Tildes. Na entrada olhava, para todo lado, mais desconfiada que burocrata em shopping, até chegar o Quevara.
A gringa não havia chegado ainda e dava para conhecer a Tildes mejor.
Na sala de espera já notara que a dita cuja não era de se jogar fora. Um belo par de pernas grossas, mas braba como uma coatiara, como diria seu amigo Turíbio Malasuerte.
- Cuidado com ela, pensou lembrando da Carlassi.
Chamou-a para dentro do consultório.
Já acomodada em uma cadeira bem acolchoada, misto de divã e espreguiçadeira, Tildes começou a contar seu drama. Quevara, na ausência da gringa, começou a fazer anotações, mas por precaução ligou o gravador.
- Seu Quevara, o Lenininho anda impossível. Não obedece o pai, nem a disciplina da casa respeita mais. Sua cabeça mudou desde quando conheceu uma moleque capitalista , filha de um burguês lá da Chácara das Pedras. Desconfio que é do mesmo colégio que ele estuda, que é lá mesmo.
- Mas quais são os fatos marcantes, doña Tildes? fale, não me esconda nada.
- Lenininho é um militante meigo, terno, voluntarioso, sempre acreditou na solidariedade entre os povos, entre as pessoas, na força dos trabalhadores, tanto que ia prestigiar todas as greves de trabalhadores e passeatas contra a burguesia. Agora deu para dizer que eu e seu pai mentimos para ele e seus irmãos.
- Si,si, si  e daí? Habla todo.
- Desde quando se separou da professora capitalista, Fânio e eu substituímos as sessões diárias de leitura da Bíblia antes do jantar por assuntos mais agradáveis e sensíveis, como comentar trechos de artigos de O Capital , da tomada do poder pelos bolcheviques na Rússia burguesa e opressora. Também comentamos sobre a evolução do socialismo no Brasil e assim podemos orientar nossos filhos e reeducar a Antonia.
- Antonia?
- Sim, Antonia Granciana, a filha do meu marido com a professora capitalista.
- Ah, bom.Aliás, essa é outra briga. Desde que completou a maioridade deseja trocar de nome. Nome que o pai colocou com carinho em homenagem a um grande homem. A minha casa está parecendo um balaio de gatos, ainda mais que o Fânio está em Brasília agora. Tenho medo que o Lenininho contamine todas as nossas amizades, todas as nossas conquistas na vizinhança com sua retórica reacionária. Não quer ler mais nada sobre o socialismo, nem as orientações que precisa conhecer para orientar as criancinhas no PLTzinho. Aquela burguesa mudou meu filho. Ele não é o mesmo. Rasgou todas as suas blusas com o emblema do partido, seus cadernos com fotos do Lênin, do Guevara, do Stalin, do Fidel, do Mao e de outros  vultos bondosos da história socialista. Só quer cadernos com mulheres , com propagandas burguesas. Outro dia andava com uma revista reacionária escondida na calça. Era uma Playboy. Que coisa horrorosa. E eu pensando que era uma biografia da La Pasionária. Veja se pode: as camisetas do partido foram substituídas por camisetas do Los Angeles Lakers!!! Quando o Fânio souber de tudo , não sei o que vai acontecer. Semana passada peguei-o tentando doutrinar uns filhos de amigos nossos dizendo que os amigos sem-terra que freqüentam nossa casa não sabem plantar nada, só badernas. Ora, desde quando os pensadores do movimento precisam saber plantar? Eles têm de conhecer a doutrina para orientar as massas, nada mais.Disse também que são muito maus pois colocam as crianças e mulheres grávidas na frente dos protestos?!?! Ora só, o que anda dizendo o Lenininho!!! Durante o último Fórum Social, negou-se a ir nas palestras educativas. O Fânio sempre o colocava para ouvir as discussões doutrinárias lá em casa assim como os outros irmãos. Acho que por influência da irmã ele foi para esse caminho reacionário. Espero que não leve o Marxinho junto. O Fânio queria mandar tatuar um retrato do Lênin no braço do Lenininho e do Karl no do Marxinho. Que coisa linda. Que pai amoroso e leal ao socialismo. Só o vi brabo uma vez: quando uns capitalistas corruptos do bar da esquina queriam socializar a Antonia no apartamento de um deles. Repeliu-os com citações marxistas e bofetões dizendo que a socialização dos meios não era daquela forma. Mas voltemos ao Lenininho. Ele nem anda fazendo  a alimentação em casa  direito e só quer McDonald’s. Veja só o que ele me disse outro dia: que Cuba é um paraíso ao contrário e só tem esfomeados, mas com saúde e sem liberdade. Disse também que a Coréia de Kim é um regime totalitário. Mas não parou por aí.  Desancou sobre Fidel dizendo que era um ditador, que massacrava seus patrícios, que nada tinha a ver com Jesus Cristo, muito pelo contrário e que esse país não servia de modelo para nós. Que o modelo que deveríamos seguir era dos Estados Unidos, da Alemanha, da França, da Inglaterra. Ora, seguir só exemplos de países capitalistas e neoliberais, reacionários e opressores e ainda burgueses. Ora essa. Para que o povo precisa de liberdade se o governo do povo pode dar tudo? Essa globalização só levou a desgraça aos países. Todo cubano é feliz com o pouco que tem, eu disse para ele e me respondeu se eu não gostaria de morar lá? Além de reacionário está cada vez mais atrevido. Veja que ele não quis , ainda falando de Cuba, participar da coleta de donativos para os catadores de cana cubanos e não participou do sorteio da passagem para Cuba. Estou preocupada , Seu Quevara.  Quisera que ele seguisse a sua tia, caso não seguisse a carreira do pai. A tia está na Câmara de Deputados defendendo o partido e os trabalhadores da classe operária como nunca. Lenininho sempre soube , como bem lhe ensinou seu pai, que a realização do homem é diluir-se na coletividade, pois só assim será cidadão. As suas necessidades, suas demandas, seus anseios, seus desejos, todos, serão atendidos pelo governo do povo, socialista, é claro. Para quê dinheiro? E liberdade para quê? Se tudo será atendido pelo governo democrático socialista? E agora me vem dizendo que o modelo socialista não progrediu em lugar nenhum do mundo, que os povos socialistas só conseguiram socializar a miséria, que é um modelo falido , que não permite a progressão da inteligência do homem, que nivela tudo por baixo e isso, só isso, nos dá verdadeira dimensão do que espera um homem nesse regime. Não acredito o que está acontecendo com meu filho. Tanto preparamos ele para defender o socialismo...Me disse também que não quer seguir a carreira de advogado do pai. Era , e é, desejo do Fânio que ele se forme em advocacia, milite num sindicato e depois  vá para a política. Sabe o que me respondeu? Que deseja fazer exame vestibular para Engenharia Mecatrônica e seguir carreira na área tecnológica. Esse rapaz ainda me deixa louca. Escolheu uma carreira na qual impera a tecnologia burguesa e que só ajuda o fortalecimento do capitalismo selvagem e opressor. Ele definitivamente perdeu a consciência socialista que vínhamos incutindo nele desde criancinha e está subvertendo tudo em nossa volta. Eu vou trabalhar e quando volto a casa está cheia de crianças que se dizem ex-integrantes do PLTzinho graças aos conselhos do Lenininho. Mais uma dele, de muitas: decidiu não nos acompanhar no seminário que o partido faz a cada seis meses no litoral de São Paulo para recapitular conceitos teóricos marxistas-leninistas e reforçar a luta individual contra o capitalismo e o neoliberalismo. A alegação é que tinha de recapitular uma matéria para o vestibular. Tolice, seu Quevara. Como pode uma pessoa colocar seus interesses pessoais acima dos do partido? Onde estamos? Quem ele pensa que é? O que o Fânio pensará disso quando souber? Mas a gota dágua foi desligar-se da delegação que vai a Cuba auxiliar no corte de cana. É o nosso programa anual de férias. Uma lição  e uma bela demonstração de solidariedade e desprendimento com os democráticos cortadores de cana cubanos, algo que fazemos em família a mais de dez anos. Mais uma vez ele me surpreendeu dizendo que este ano ninguém o seguraria para impedir sua ida ao Planeta Atlântica, aquela programação burguesa de música na praia. Mas me diga, o senhor que nasceu e viveu em Cuba: qual a diferença da banda oficial do partido para o Skank, o Tequilla Baby, o Natiruts, os Titãs, ? Mas que coisa? Para mim , deu prá  bola. Vou falar com o Fânio para interná-lo em um seminário do partido em Veranópolis para reenquadrá-lo na doutrina. Eu não agüento mais suas reações imperialistas e seu rancor anti-socialista. Ele está contaminando tudo em nossa volta. Não pára mais de falar mal do nosso governo , critica-o pela continuidade dizendo que mentimos todo tempo na campanha, critica abertamente todos nós pela incoerência, incompetência, maniqueísmo, curriolismo, termo que ele criou para falar dos companheiros que colocamos em alguns poucos cargos do governo, falta de responsabilidade política histórica, quando votamos contra tudo e impedimos que se fizessem reformas úteis ao país  e agora queremos que não se faça, critica a postura do seu pai quando liderou campanha contra a falta de aumentos do salário do funcionalismo público dizendo que era falta de competência do governo e agora se mostra contra dar esse aumento, por mínimo que seja. Nos chama de mentirosos e atira na cara que votamos sempre contra. Mal sabe que todo o progresso do país, sua futura liberdade, sua democracia, passa pela esquerda, ora essa. Me joga na cara  para que eu aponte um país onde o socialismo deu certo e mostro que Cuba é um exemplo e ele sempre me diz para eu ir para lá. Ele diz que tem medo das nossas propostas porque conhece nossos amigos e o que farão. Cada vez que falo que outro mundo é possível ele me dá como resposta os 100 milhões de reacionários mortos na revolução russa, aqueles  governistas em Cuba, na Coréia, na China, na URSS.... É claro que tem de haver justiciamentos numa revolução. Isso ele não entendeu ainda, mas vai chegar lá. O próprio Che  disse que todo militante comunista deve se tornar uma máquina de matar movida a ódio contra a burguesia. Seu Quevara, dias atrás achei que a casa ia pegar fogo quando o Lenininho chamou seu pai de fascista. É que numa reunião de discussão em casa ele falou que não deveríamos propor a submissão da iniciativa privada ao planejamento do estado e aos interesses do partido em nome da liberdade de iniciativa e da democracia. O Fânio ficou uma fera, mas disse que o filho deveria estar sofrendo alguma influência neoliberal . Coisas desse capitalismo agonizante. Mas também confortou-me dizendo que ainda não existe projeto socialista sedutor para substituir o modelo capitalista neoliberal opressor.
- Mas como fala essa mulher! pensava Quevara.
- É, seu Quevara, assim anda se comportando o Lenininho, mas não conte nada para o Fânio, nem que estive aqui.
Nesta hora , a Tildes, que não era de se jogar fora, deu uma cruzada de pernas que Quevara ficou quase branco de susto. Não tinha como não dar uma olhada naquelas pernas e quase avançou para cima da Tildes, mas se conteve.
 Pediu para a dita cuja aguardar um pouco e dirigiu-se para uma saleta anexa, onde, segundo disse, iria redigir seu parecer.  Na realidade iria ficar observando a Tildes por um buraco na parede. Queria saber de suas reações ao ficar sozinha após a consulta.
- Mas que ela tem um belo par de pernas grossas , ah , que tem , dizia para si mesmo Quevara, enquanto observava.
Tildes, sem saber do que estava acontecendo, começou a ajeitar sua roupa: usava uma saia de um pano só e presa por uma tira e acabou soltando-a para se ajeitar. Quevara via de camarote aquele espetáculo.

Pouco depois, de surpresa entra na sala e Tildes ainda não havia se recomposto. Fingiu que não notara como a paciente estava e a mandou sentar-se.
- Doña Tildes, o seu filho está cometido por uma síndrome benigna que classifico como Distúrbio Esquizofrênico Sociológico Transmitido Repticiamente por via Oral, mais conhecido como DESTRO. É a reação ao Mico da Caverna e segunda fase da síndrome-o dilema de Shakespeare. Ele sofreu uma desagregação e seguida de atomização do seu EU gerando a perda da consciência verdadeira. Foi uma desagregação imposta de modo autoritário, embora sutil, com uma falsa idéia do valioso, tornando-o um ser humano atomizado ideologicamente, nada autêntico e cada vez mais autômato. Sua personalidade estava sendo radicalmente alterada, dando-lhe uma nova personalidade psicológica para atender aos desejos dos seus formatadores de consciência.
- Queres dizer que estávamos fazendo uma lavagem cerebral no nosso filho?
- Si, Si, Si. E quando a sua verdadeira consciência, aquela baseada em verdades universais veio à tona, ele sofreu o primeiro impacto, que é a Síndrome de  Shakespeare. Não sei quem decidiu por ele tomar outro rumo, mas este, com absoluta certeza, veio dar-lhe novos horizontes e retomar o seu Ethos. Não se pode mentir o tempo todo sem ser desmascarado, assim como justificar o injustificável sempre. Um dia a casa cai e Lenininho está, com certeza, varrendo tudo o que lhe foi colocado na cabeça dessa forma. Sua reação pode ser mais violenta ainda. Foi-lhe aplicado um verdadeiro estelionato psicológico e o seu filho começou a separar a moral universal da circunstancial. É uma fase dolorosa, pois a inquirição do que lhe foi imposto sem contestação é muito forte, gerando o reverso da medalha: repelir os jargões surrados e rancorosos da ideologia injetada e partir para o ataque a tudo que nela se inspire.
- Mas tem cura, seu Quevara? Esse negócio já cresceu demais, o senhor não acha?
- Si, si, si. Mas como observaste e por quê achas que cresceu, Tildes?
Com olhos arregalados e olhando para a calça do Quevara, impressionada com o tamanho do instrumento..
- O quê queres dizer com isto, Quevara?
- Si, si, si.
- Mas como, Quevara? Por quê andas com uma lanterna no bolso?

A gringa estava chegando no prédio cheia de desculpas pelo atraso, quando, mal saindo do elevador, ouviu um estrondo dentro do consultório parecendo que havia uma quebradeira ou uma briga. Entrou desesperada pensando que era um assalto.
- Meu Deus, estão assaltando o Quevara, .....me ajudem.

Os ocupantes dos outros consultórios chegaram rápido para ajudar e formou-se um aglomerado na porta.
Tilde , a essa altura, já estava recomposta toda radiante e Quevara começava a explicar-se para a gringa.
- O quê tu estavas fazendo, oh , Quevara?
- Mas..
- Não tem essa nem aquela. Vai te explicando, fala a gringa indignada
- Quevaara, eu vou indo. Tchauzinho, se despede a Tildes bem faceira e feliz da vida
- Ah, já sei. Oh, cubano safado, tu aplicaste o método nela , não é?
-  Si, no,si, mas que se pása?
- O  que se passa é que passaste a ......
- Mas o que ele passou na mulher para ficares tão fora de si, gringa?
- Não te mete e vamos embora daqui, Judite. Vamos voltar para o nosso trabalho que isso aqui é coisa deles.
- Sim, Volmir. Mas onde está a lanterna que a mulher desesperadamente gritava que queria mais uma vez? Fala Judite.
- Ah, então era a lanterna, não é, Quevara? Interrompe a Gringa
- Si, Si, Si...mais uma narcisista fóssil que tratei. E daí?
- E daí o quê? Aplicaste o Guascazo, não é, sem vergonha?
- Si, Si, Si. E daí, que quieres de mí?
- Ah, Quevara, ontem me prometeste uma sessão de manutenção e nada..
- Ei, Quevara, quero saber desse tal de Guascazo. Afinal ..
- No, No, No, Volmir...Tchau, Tchau , Tchau. Me voy. Tchau. Arrivederci.
FLAVIO MPINTO
Enviado por FLAVIO MPINTO em 06/11/2007
Código do texto: T725641

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
FLAVIO MPINTO
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 66 anos
531 textos (99312 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/12/17 22:10)
FLAVIO MPINTO