Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A FUXIQUEIRA

A FUXIQUEIRA


Desencavou-lhe mil defeitos. Depois que passaram a morar na mesma casa, passou a abrir todas suas cartas.  Ganhara o rosto na janela desde cedo, antes mesmo que a filha menstruasse. Todo homem, para ela, fora safado; e toda mulher seria descarada. Andava de salto alto e de olhos para além do muro dos vizinhos. Pobre coitada!
Inventou-lhe mil amantes. Depois que passaram a morar na mesma casa, passou a acompanhar seus passos qual uma sombra ciumenta.  Perdera o marido muito jovem, não por falta de ânimo, mas por um desejo incontrolável de, sempre quando, em casa chegasse, bolsos e carteiras seriam irremediavelmente vistoriados.
E o coitado difamado, esposo da filha, num rasgo de jesuscristice inesperado, sacudiu-lhe os ombros, deu-lhe as costas, trancou-se no quarto com a mulher e fizeram amor o mais alto que puderam. Afinal de contas, sogra é sogra!
Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 21/03/2005
Código do texto: T7296
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
662 textos (20975 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/20 08:34)
Djalma Filho