Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MENINAS MÁS (parte 12)

Depois da aula eu e Aline fomos para o shopping. Já fazia uma semana da minha conversa com Gabriela e desde então ela nunca mais procurou. No entanto, Aline a flagrou várias vezes olhando na minha direção, tanto dentro da sala de aula como no intervalo. E nós duas havíamos reparado também que Sarah e Vanusa a estavam deixando de lado. Lógico que Gabi estava ansiosa para que eu a acolhesse de braços abertos. Se dependesse de mim, que esperasse deitada.

- Você escutou sobre a festa?

Balancei a cabeça fazendo que sim.

- Está todo mundo falando. Certamente seremos as únicas que não seremos convidadas.

Sarah estava organizando uma mega festa no apartamento de cobertura que morava com os pais. Ela iria se aproveitar que eles iriam viajar para aprontar todas.

- Não faço a menor questão de ir - devolveu Aline, emburrada. - Vai ter um monte de gente puxando o saco daquelas duas vacas. Inclusive Gabi.
- Será que ela vai? Está tão por baixo... Gabi só se senta perto delas porque não tem outro lugar sobrando. Nem sei se vai receber convite.
- Claro que vai. E vai postar mil fotos no Face como se estivesse muito feliz.

Rimos bastante. Rimos tanto que só fomos nos dar conta que Gabriela estava a nossa frente algum tempo depois.

- A piada deve ter sido boa - ela comentou sem jeito.

Eu e Aline paramos imediatamente de rir. Levamos um susto. Não esperávamos que Gabriela fosse aparecer do nada. Mais tarde suspeitei que ela tivesse nos seguido depois da escola.

- Ah... Oi, Gabi.

Gabriela sequer olhou para a cara de Aline. Sem dizer nada me estendeu uma fita rosa neon. Eu a segurei sem entender nada.

- O que é isto?
- O convite para a festa de Sarah.

Devolvi a fita para ela na mesma hora.

- Ei, eu não quero ir na festa daquela vagabunda.

Novamente a cara de choro. Gabi não pagava imposto para chorar.

- Ah, vamos, Paulinha. Sarah disse que eu poderia levar quem quisesse.
- E ela sabe que sou eu? Aquela puta me atirou no chão semana passada, machuquei meu pulso e você não foi capaz de me ajudar! E agora quer companhia? O que houve? Elas estão lhe dispensando?

Tive que baixar o tom de voz quando um dos seguranças passou bem devagar ao meu lado. Mais um pouco e seríamos as três retiradas do shopping.

- Desculpe, Paula. Fiquei muito surpresa com aquilo. Tanto que não reagi, não consegui fazer nada – ela tentou sorrir e me esticou outra vez a fita. - Pegue. Nós podemos nos divertir lá. O apartamento é grande, elas convidaram muitos garotos e nem verão você.

Uma ideia perversa começou a se formar na minha cabeça. Havia boatos que elas consumiam drogas. Beber já era comum. Mas se eu conseguisse registrar as cenas no meu celular, podia cravar com elas direitinho.

Lentamente peguei a fita. Aline ao meu lado chegou a estrebuchar. Depois eu explicaria meu plano para ela.
- A festa é quando mesmo?

Os olhos de Gabi brilharam.

- É nó próximo sábado! Vamos???
- Eu ligo para você depois.

Peguei Aline pelo braço e nos afastamos dali.
Patrícia da Fonseca
Enviado por Patrícia da Fonseca em 27/09/2014
Código do texto: T4978734
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre a autora
Patrícia da Fonseca
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 49 anos
646 textos (48888 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/01/20 17:22)
Patrícia da Fonseca