Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Manhã de janeiro

A brisa sorrateira entrou pela abertura da janela, sentiu a pele arrepiar-se e os pêlos dos braços eriçarem; era janeiro e uma chuva mansa fazia-se presente assim como o cheiro de terra molhada. Ao nascer do dia a chuva parou. Eram 10 horas quando o calor do sol fez-se presente no quarto. A claridade fazia doer os olhos. Ah, que preguiça! Não queria levantar. Esticou os braços para os lados num espreguiçar demorado; ele não estava lá. Os ruídos no andar debaixo no entanto entregaram-no. Ele está na cozinha, pensou.

Levantou-se por fim, foi ao banheiro e lavou o rosto com água gelada que espantou de vez a preguiça. Estava enfim acordada. Voltou para o quarto e vestiu a camisa dele. Desceu as escadas em passos leves, não queria que ele a notasse ali. Escorou-se na parede e sorriu ao sentir aquele cheiro; o cheiro de café coado na hora era um dos pequenos prazeres que faziam-na feliz. Cheiro de café e o cheiro do seu bem.

Foi até ele ainda em silêncio, abraçou-o por trás e ficou na ponta dos pés para que assim pudesse apoiar seu rosto nos ombros largos daquele homem que ela tanto admirava. Sorriu novamente e num sussurro rouco, com a voz ainda de preguiça disse:

– Bom dia, meu bem...
Beatriz Caroline Silva
Enviado por Beatriz Caroline Silva em 15/01/2019
Reeditado em 16/01/2019
Código do texto: T6551929
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Beatriz Caroline Silva
Tabapuã - São Paulo - Brasil, 20 anos
3 textos (187 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/06/19 16:55)
Beatriz Caroline Silva