Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Can´t buy me love

Coluna de informática de jornal em um 2000 e não tantos anos:

Essa semana, garimpando na internet descobri uma empresa aqui no Brasil que comercializa a novidade mais estarrecedora dos últimos tempos:  sentimentos – Não! Isso não é só maluquice de americano...   “Quem disse que não dá pra comprar amor? Clique aqui e prove aos Beatles do que é capaz”. Dizia a chamada do site.

Não fazer a menor idéia do que levaria alguém a efetivamente COMPRAR amor é realmente uma prova do quanto estou ficando velho...

Primeira estranhíssima pergunta do site quando iniciei o processo de compra “Você deseja comprar um sentimento transitivo ou intransitivo?”. “HUM”. Lembrei-me das minhas aulas de português, os verbos são transitivos ou intransitivos... Os verbos intransitivos não precisam de objetos, já os transitivos precisam... Devia ser isso.
 
Escolhi o transitivo.  Lá na lista, estava o amar como um verbo transitivo.  Ok. Amor.  Vai ser esse mesmo! Pensei. Agora eu deveria escolher pelo que, ou quem gostaria de me apaixonar... Objeto, pessoa, animal...

Para ser mais simples, escolhi uma pessoa. Do sexo feminino. Sem nenhum preconceito, mas prefiro me relacionar com um sexo diferente do meu.   “Aha!! Agora peguei esse pessoal”, pensei. Imaginei por alguns segundos, enquanto a página carregava, que nunca ninguém tinha sido maluco o suficiente para tentar comprar amor por outra pessoa... Portanto eles deveriam estar blefando com o objetivo de mostrar que podiam realmente vender de tudo e iria aparecer para mim uma frustante (mas tranquilizadora) mensagem de “page not found” a qualquer momento...

Carregou a página! No processo seguinte, o site me perguntava como deveria ser o par ideal. Ah! Isso eu já tinha visto, pensei. Há milhares e milhares de sites de relacionamento por ai...

Fui preenchendo. Morena, nivelando com a minha idade, etc, etc. Dei um “ok” e abriu um site com algumas dezenas de perfis femininos, que pelo que entendi, também queriam comprar amor.

Cliquei em uma mulher que me agradou... Bonita... Corpo legal... E então, eu era informado que clicando em “confirma”, chegaria a minha casa e na casa da tal mulher um vidro de AMOR que eu deveria tomar como dose única e depois encontrar minha amada.  A mulher como explicava, teria ainda que concordar com aquilo tudo...

O site explicava que havia um componente na fórmula personalizada que faria ela se apaixonar por mim e eu por ela. Seguindo o processo de compra, paginas e paginas de um termo de compromisso insano que fiz questão de ler só para me divertir.  Além de milhares de outras coisas, informava ao comprador que no caso da não concordância da outra parte, o site enviaria outras escolhas até que finalmente o casal se fechasse.

O termo esclarecia que o sentimento deveria ser recomprado de tempos em tempos por ter prazo de validade de 6 meses.  Finalizava isentando sua responsabilidade no caso da desistência de qualquer das partes, ou de seu falecimento.  “Se você não deseja correr riscos” sugeria “O ideal é a compra de AMOR por objetos ou bichinhos, de preferência, de pelúcia”.

Isso é pior que vender injeção. Esses caras vão falir no primeiro mês... Enfim, segui meu objetivo que era o de entender até onde aquilo ia chegar, sem efetivamente me comprometer com uma desesperada, ensandecida da internet. E quem sabe, até mesmo comprar um outro sentimento mais light e intransitivo como tranqüilidade ou harmonia.

Após o link com o termo, e antes do botão “EU ACEITO E CONFIRMO A COMPRA” havia ainda uma mensagem final:  “É verdade. Não é tão simples como você imaginava, além disso, será necessário o consumo pelo resto de sua vida de nosso produto.  Na verdade, essa também pode ser encarada como uma medida de segurança caso queira terminar o romance. Mas antes de desistir por causa de nossas cláusulas” eles são bons nisso, dei uma risada descrente. “pense bem: até hoje você não encontrou o amor da sua vida e já tentou ter um romance com tanta gente que até se cansa de pensar. No entanto, quem você gosta não gosta de você e vice-e-versa. A única pessoa que deu certo foi morar longe, ou então, conheceu outro(a). Sim... Talvez este site esteja brincando de Deus com você, talvez outras pessoas o considerem maluco quando você contar como conheceu o seu amor, mas pense bem, essa pode ser a sua última chance. Sua ultima chance de escolher a dedo o amor da sua vida e garantir, de forma racional, madura e controlada, que ambos continuem se amando para sempre pelo resto de suas vidas da mesma forma em que no dia que se conheceram. Parece uma escolha tão ruim assim?”

Bom... Semana que vem compro harmonia...

“Parabéns! Você acaba de comprar AMOR. Pessoas que compraram AMOR levaram também AFINIDADE SEXUAL. Leve a segunda (ou primeira) melhor coisa da vida por 50% de desconto”. Conforme disse no inicio. É mesmo uma idéia genial.  Isso ainda vai fazer muito sucesso... Tomara que minha morena aceite esse negócio logo.


Tata Sabe Tudo
Enviado por Tata Sabe Tudo em 30/08/2007
Reeditado em 06/01/2012
Código do texto: T631098

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Tata Sabe Tudo e o site http://tatasabetudo.blogspot.com/). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tata Sabe Tudo
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
10 textos (9895 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 00:44)