Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SURPRESAS - Parte 3


Com todos à mesa, Reed começa sua explicação:

_ Há alguns meses, recebi um email...era um pedido desesperado de uma mulher chamada Sarah Casey. Seu filho de apenas 2 anos de idade tinha sumido misteriosamente sem deixar pistas e um dia, aproveitei a chance enquanto passeava com Franklin pelo Central Park e fui visitá-la. Quando chegamos lá, Franklin logo sentiu que a criança estava presa em uma outra dimensão e antes que eu pudesse evitar, ele abriu um portal e foi buscá-la...

Os olhos de Ben estavam arregalados.

_ Continua, Borracha!

_ Bem, ele a trouxe de volta, mas a criança não era mais...humana.

_Como assim, Reed?! "Não era mais humana..." - Sue fica curiosa.

_ Quando Franklin trouxe o pequeno Jamie, já era tarde demais, Sue, ele estava...assim!

Reed aperta um botão vermelho no painel à sua frente e uma grande porta de aço se abre exibindo um recipiente parecido com um aquário. Dentro dele, um ser geneticamente transformado flutua em um líquido como se estivesse livre no espaço.

Sue leva a mão à boca, horrorizada.

_Meu Deus, Reed!

_Putz! Que é isso? - Ben se aproxima do recipiente para olhar melhor.

_Não se aproxime muito, Ben! Eu ainda não isolei todos os componentes nocivos da criatura.

_Pô, Reed! - diz Johnny - Ele é uma criança...tá certo que tá meio assim, esquisito, mas ainda é uma criança...Do jeito que vc fala...

_ Johnny, ele não é mais humano. Infelizmente, de acordo com o levantamento que fiz, milhares de crianças estão na mesma situação, presas em dimensões atemporais alternativas. Quem nos atacou também sequestrou essas crianças e o que ele está fazendo é ilegal, sobretudo, imoral. Como Quarteto, nosso dever é detê-lo; como cientista, meu dever é reverter essa situação e devolver essas crianças à seus pais.

_Bom, o papo tá muito bom mas o que eu quero mesmo saber é qdo que a gente vai ter ação de verdade..tô doido pra gritar "tá na hora do pau"!!

_ Calma, Ben, em breve...

Reed então verifica os resultados do rastreamento.

_O que?! Como?! Não é possível!

_Que foi, Reed? Fala!

_Segundo as informações que obtive, nosso alvo não está em um universo paralelo...

_Fala logo, Borracha! Tá onde?

_No Four Freedoms Plaza! Na nossa casa, agora mesmo! Já não temos escolha, pessoal, temos que agir e rápido.

Reed aperta o botão e a grande porta se fecha.

_Quem quer que esteja no FFP ainda é desconhecido para nós. Não quero correr riscos desnecessário, portanto, Sue, você vai buscar as crianças. Só apareça no FFP quando eu chamar. Ben, Johhny! Venham comigo!

Reed digita um código e um portal se abre.

_Sue, este portal levará você até onde as crianças estão. Leve o rastreador de moléculas instáveis com você e tenha muito cuidado, querida!

Ele beija a esposa carinhosamente.

_Agora, vá!

Ela entra sem demora no portal que se fecha enchendo o local com uma forte luz.

_Ben, Johnny, agora é a nossa vez.

Digitando um novo código, um novo portal é aberto por Reed.

_Finalmente, ação! Hehehehe! - comemora Ben esfregando as mãos.

_Vamos! - Reed é o primeiro a entrar, seguido de Ben e Johnny.

O portal os leva ao FFP e o quadro que encontram é de total destruição. Escombros e ferro retorcido estão por todo o lugar.

Ben se abaixa reconhecendo um objeto familiar. Ele o toma nas mãos.

_ Ah! Meu ursinho! Nem ele foi poupado! Putz! Tá em frangalhos!!

_ Ei, Ben, não começa a chorar agora!! Prometo que te compro outro quando essa zona acabar! - diz Johnny.

_Puxa, Fósforo, sério?! Não vai ser a mesma coisa, mas valeu, valeu mesmo...

_Vocês querem se concentrar, por favor?! - Reed está sério e observa atentamente o lugar - Quem fez isso ainda está aqui, eu posso sentir!

_Olha ali, não é a Val?!

Em um canto escuro, uma criança chora baixinho, espremida entre vigas e concreto. Johhny corre até ela.

_Não, Johnny! Espere!

Antes que Reed possa impedir, Johhny põe a mão sobre a criança e é fortemente atingido por uma descarga de energia que o joga à distância.

_ Ghhhhhhhhhhhhhhhhhhhkkk!!!

Ben se adianta e protege o amigo.

_Essa não é a Val! Mas que...@#@$&#!

A criatura então assume sua verdadeira forma deixando os três atônitos.

Ben aperta os olhos, furioso.

_Ora, ora, ora...vejo que ainda lembram de mim. Hum..de certa forma, me agrada permanecer nas lembranças de alguém. Na verdade, quando eu terminar com vocês, é exatamente isso que serão: uma mera lembrança!
Cláudia Banegas
Enviado por Cláudia Banegas em 31/08/2007
Código do texto: T632646

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cláudia Banegas). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cláudia Banegas
São Gonçalo - Rio de Janeiro - Brasil, 51 anos
248 textos (16242 leituras)
7 e-livros (635 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/17 07:05)
Cláudia Banegas