Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O velho Pássaro da lua

Numa cidadezinha aqui perto, um menino pobre que queria ser poeta, mas não sabia como, acordou com uma sensasão de que alguma coisa diferente e esquisita iria acontecer no seu peqeno mundinho de criança de 6 anos.
Naquele dia, que  não era um dia como os outros, pois era o seu aniversário, a sua mãae lhe dera um livro de presente e falou:
- Leia, Releia e continue lendo.
E então o menino obedeceu. Não largava o livro nem na hora de almoçar, de tomar banho ou de ir ajudar o pai no trabalho.
No início, com medo de que a história acabasse logo, ele ia saboreando-a bem devagarzinho, como se tivesse lambendo um gostoso sorvete de chocolate em pleno verão.
Na verdade, le até dormia com o livro debaixo do travesseiro. E, nas noites de insônia (pois ficavam dúvidas e ansiedades viajando em sua mente), o menino acendia o abajur e recomeçava a leitura de outro ponto.
Ás vezes até de tráz pra frente ele lia, imaginando como ficaria aquela história se fosse escrita de outra maneira: o começo no meio, o meio no fim e o fim no começo ...
E depois de muito, muito tempo, de tanto ler e reler (e ter inventado outras Histórias do livro dentro do livro), ele começou a trocar as palavras. Mudava um substantivo aqui, um adjedivo ali e até os diálogos ele mudava. No final morria de rir ao ver como as coisas ficavam, do seu modo, do seu jeito.
E aquela história, então, já não eram a mesma hitória que tinha lido pela primeira vez quando sua mãe lhe deu o livro. E então estava já decidido: 'Quando crescer, quero ser escritor, pois sendo escritor algum dia, quem sabe, poderia responder a tantas perguntas importantes.
Mas o livro (que era o único que ele tinha) depois de um certo tempo ficou amassado, estragado, já quase nem dava mais para ler. Ele te que colar os rasgos, recusturar as duas capas e emendar as páginas com durex e até retocar alguns desenhos que já estavam se apagando. Mas não adiantou nada: as letras, te tanto manuseio e suor(por ele levar o livro debaixo do braço até na hora do futebol) começaram a se apagar. Ele ficou desesperado. E agora-perguntou a si mesmo- Como vou ser poeta sem o meu livro pra ler e reler el er outra vez ? ... E tentou e tentou inúmeras vezes, tentou de tudo, tudo mesmo, mais já não conseguia mais reformar o seu livro.
Na escola ficava triste. Não conversava com niguém, não ia mais para futebol ... Ele só queria voltar para casa e reler, pela ultima vez aquelas palavras remendadas. Ele até tentou decorar o seu livro, mais sempre acabava esquecendo alguma coisa ou alguma palavra.
Em uma noite, então, enquanto chorava por estar prestes a perder ser amigo tão intimo de sua vida. E ele teve uma idéia:
- Por que não reescrever tudo o que havia descoberto ali? Mas ao seu modo, do seu jeito, trocando palavras, frases, personagens, começos, meios, e fins ? Imediatamente o menino saltou de sua cama, ligou o seu abajur, pegou o seu caderno mais bonito e começou a trabalhar. Escreveu, escreveu até durmir encima deseu caderno. No dia seguinte, acordou e pensou, pensou e até que concluiu:
- Um livro só tem vida quando o leitor dá vida a ele, ou ele dá vida ao leitor... Aí o mundo fica grande. Muito grande.
E finamente conseguiu acabar o seu belo livro,  se chamava O VELHO PASSARO DA LUA.
Sessenta anos se passaram. E embora aquele homem já houvesse escrito dezenas e dezenas de novelas, poemas, contos, romances, letras de músicas, e até discursos, ele continuava acreditando em milagres. Pouco tempo depois não conseguira mais escreve e pedia para sua secretária escrever suas lindas e tramáticas histórias para ele. Qundo se passou masi alguns anos passaram a não publicar mais seus grandes livros. Pois agora o mundo já não era mais o mesmo. Enfim, se esqueceram dele.
- Agora posso morrer como um velho pássaro da lua... Chorou, e resolveu que voltaria á sua terra antes de morrer.
Certo dia colocaram-no em um carro, e lá foi ele para sua terra natal.
Qundo estava chegando avistou um menininho pálido, magro e pequeno andando na rua...
- Olá garoto. Disse o velho
- Olá. Respondeu o menino.
- Você gosta de ler ??
- Não sei, nunca li um livro.
O velho olhou para o menino e falou, entregando-lhe o seu primeiro livro "O VELHO PASSARO DA LUA" . e disse a ele:
- Leia, Releia e leia de novo.
O menino sorriu e foi para a sua casa...


Ju Kiem
Enviado por Ju Kiem em 07/09/2007
Código do texto: T643017

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (Poor; Juliana Kiem MSN: kiem157@hotmail.com). Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Ju Kiem
Curitiba - Paraná - Brasil, 23 anos
19 textos (2021 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/17 11:28)
Ju Kiem