Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Reforma íntima

Sempre quando algo incomoda, ou não vai bem, o melhor é tentar resolver o que prejudica a alma. Buscar o sua própria luz interior e assim erradiar o sol que existe em cada um de nós. Lembro-me que, quando estive em passagem na terra, vivia de muitos erros, e por alguns segundos, senti um tempo perdido que havia passado. A vida que ganhei pra melhorar meu processo de evolução, havia passado, e eu não havia evoluído nem um terço do que podia ter feito. Sendo assim, vagando do nada, entrei em um salão vasto e muito harmonioso, composto por uma música que quebrava o silêncio do lugar e ao mesmo tempo, acalantava o meu coração em forma de luz. Uma luz fraquinha e sem muito brilho pra irradiar bons fluidos, pude perceber em mim mesmo. Haviam algumas cadeiras a espera de muitas outras almas como eu ou encarnadas.. Andei até o centro das atenções, um altar com um copo d’água e uma toalha branca que ia até quase o chão... Uma paz tomava ainda mais o meu ser. Aos poucos, fui adquirindo carne, pés, mãos, lábios, cabelos, e um tronco pra apoiar o resto do corpo. Encarnei em alguém, que por um acaso, se sentia tão vazio quanto eu naqueles dias frios e isolados. Éramos já um holofote muito forte internamente, assim que nos juntamos, procurando os primeiros poros pra expandirmos toda aquela luminosidade, pelo simples fato de termos percebido a importância real da vida sem nos preocuparmos com diferença alguma . Algumas janelas ao redor refrescavam a pele e arejavam também o lugar. Inseguro do que estava acontecendo, o meu lado encarnado demonstrava que ali seria um porto seguro por alguns dias e até meses era uma nova experiência de evolução. Começou uma palestra muito direcionada a “nós” e a que procurávamos naquele dia ... Um folheto na mão e uma mensagem de conforto. Sai dali daquela carne e passei por todas aquelas pessoas sentadas e pousei no orador, sentindo intensamente aquelas palavras que fluíam naturalmente sobre toda aquela filosofia. Dei uma memorizada e comecei a irradiar o meu sol interior. Aquelas mesmas palavras, faziam misérias nos meus poros, agora tanto irradiava como aprimoravam os caminhos que eu iria trilhar dali por diante. Voltei ao encarnado mais próximo, e de caneta e papel na mão, resolvi me manifestar pro irmão que de inicio me servio de casa e ali ditei todas as suas incertezas iniciais. De um longo texto, fiz jus a minha estada ali. Na verdade, fui enviado para guia-lo até o templo da paz que ele tanto almejava. Nada acontece por acaso, encabeçava a minha mensagem. Em meio ao processo de renovação coletiva, demonstrei um lugar vago ao lado do outro irmão que psicografava, e os coloquei um do lado do outro e foi entregue a carta ao carente de luz. Em lágrimas, vi muitas angustias serem debulhadas ali naquele momento. Senti sair do meu eu, um sol muito mais brilhante e solido de amor, que me abandonava e se transferia em mil deles por todas aquelas pessoas. Assim foi harmonizando todo o espaço com uma ternura gigante, olhares brilhantes dissiparam emergindo o amor fraterno e a paz reinou naquele espaço que agora queimava de paixão solidária ao próximo. Uma explosão de bem estar. Senti que naquela noite, as pessoas iriam sair mais leves dali, talvez mais do que qualquer dia e que o meu objetivo maior já tinha dado inicio. Salvar aquela pobre alma perdida entre incertezas e dores carnais. Como eu havia recebido um presente e não fiz o que poderia Ter feito em vida, ao menos agora tive a chance de regeneração e abandono de egoismos. Passei a refletir por um instante de tudo que estava acontecendo, um tempo mais longo depois, e o meu relógio era mais rápido do que o dos encarnados...ou mais lento... e a perspectiva daquela pessoa angustiada voltava, e eu pude sentir isso como gratidão durante o derramar daquelas lágrimas que caiam e lavava aquele coração com um foco de luz mais amplo e brilhante . Dei um salto do físico do orador e devolvi-lhe a sua própria vida. E voltei ao meu caminho de Luz por onde ainda não havia terminado a passagem. Encontrei alguns amigos e fiquei por dias observando aquela nova alma que ficava mais leve naquele dia.

Débora Costa
Enviado por Débora Costa em 22/10/2007
Código do texto: T704575

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Costa
São José do Rio Preto - São Paulo - Brasil, 41 anos
24 textos (1257 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/17 01:26)
Débora Costa