Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dia dos Namorados!

            Noite banhada pelo brilho ensandecido da lua. Céu constelado pelo amor estelar; e o amável namorado Calígula, acompanhado de  morcegos e solícitos vampiros foram assassinados, mortos , despedaçados em cubos, porque recusaram tirar sangue, atacar com unhas e cravar os dentes caninos na jugular da mocinha semi-virgem. Entre eles haviam umas maneiras estranhas, uns fetiches macabros de amar, dentre os quais, praticavam sempre o "morde, arranha, sobe e desce, deixe os frisos, fique de quatro, tome tapa na bunda, desfola os joelhos, uiva para a lua, pisa em cima com salto 15, diz que me ama, diga que sou seu cafetão, estupra mas não mata. Apenas relaxa e goza".
           Estavam acostumados às noites e dias, dias e  noites de amor profano; aos quais, dedicavam-se todos os 364 dias do ano, ao dia da fornicação; e naquela sinistra noite, era noite do dia dos namorados e ele, Calígula se recusou amar, sexuar, aninhar, fornicar Fiona, a encantada.
                Ao depor para a Polícia sobre o caso, disse que cometou o ato, puramente por amor; mas que nunca imaginara que os amasse tanto, para cometer o assassinato coletivo, ainda mais em uma noite como àquela; dedicada aos amados, amantes e namorados enamorados.
    "Por amor vale tudo. Se Deus perdoa, não será eu que irei condená-la. Está absolvida." - ouviu do Delegado.
Mutável Gambiarreiro
Enviado por Mutável Gambiarreiro em 12/06/2019
Reeditado em 12/06/2019
Código do texto: T6671051
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mutável Gambiarreiro
Jegue é - Tovuz - Azerbaijão
2264 textos (52294 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/19 17:41)
Mutável Gambiarreiro