Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Eu vejo mortos - Terror

Visage dos Mortos

Tenho o poder de ver espíritos, principalmente aqueles que influenciam o destino e o comportamento das pessoas. Há um tipo específico que me incomodo muito quando vejo: O espírito de morte...

É uma criatura medonha, com uma aparência distorcida e com poucas semelhanças a um ser humano. Ela costuma acompanhar a pessoa que está próxima da morte a todo lugar, servindo de companhia até que morra...

Minha família acredita em mim pois previ a morte de minha avó. Havia um garoto que a seguia por todo lugar, ele a observava com um sorriso demoníaco e no dia que ela morreu ele estava sorrindo em seu enterro... Eu aprendi a ignorar e a entender essas presenças... Porém acabei adquirindo o hábito de nunca me olhar no espelho com medo de que visse algo ao meu redor...

Pessoas são acompanhadas por seus vícios, e eles nunca a deixam em paz. Seus pecados e crimes mais cruéis as seguem dia e noite. Eu posso vê-los todos.

Um garoto se apaixonou por mim quando eu era adolescente. Eu nunca vi nada nele, somente uma borboleta que o seguia e ela era o sinal de uma tristeza profunda. Toda vez que ele estava perto de mim ela sumia e ele ficava em paz...
Eu ficava feliz em poder afastar a tristeza dele, e conforme o tempo passou acabei me apaixonando também por sua personalidade amigável.

Ele tinha um certo problema com algumas pessoas más, eu via diversas intenções ruins ao redor dessas pessoas. Ele as devia, mas sempre me escondia o por quê de andar sempre tão preocupado...
"Se você não nos pagar até semana que vem, vamos te matar..." Foi o que eu ouvi de uma dessas pessoas um dia.

Não demorou muito e logo comecei a ver uma criança que sempre seguia meu namorado. Seu sorriso macabro aumentava conforme a próxima semana ia chegando. Eu o tentei alertar diversas vezes mas ele dizia que resolveria esse assunto e que eu poderia ficar em paz. Até minha família tentou conversar com ele, mas ele não acreditou na história de que eu via espíritos.

Ocorreu que ele desapareceu um dia e nunca mais foi encontrado... Eu fiquei devastada por dias e nunca mais abri meu coração novamente.
Depois de algumas semanas, recebi uma carta que dizia:
"A dívida que ele não pagou foi para você, pois era a namorada dele. Você tem uma semana."

Eu fiquei em choque com aquela ameaça, e entrei em crise de choro. Fui ao banheiro lavar meu rosto e acabei olhando em um espelho.
Lá, parada bem atrás de mim com um enorme sorriso macabro, estava uma criança.
Brandente
Enviado por Brandente em 14/01/2021
Reeditado em 14/01/2021
Código do texto: T7159192
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Brandente
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 20 anos
469 textos (12125 leituras)
3 áudios (123 audições)
1 e-livros (43 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/01/21 14:54)
Brandente