Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ele veio das estrelas e mudou as suas vidas para sempre


Falou-lhes de paz, quando a guerra era o mandamento predominante, fazendo com que as trevas deixassem aquele lugar e no seu lugar se instalasse a mais radiosa paz. Falou-lhes de amor quando o ódio era a linguagem de todos os dias de, pelos inúmeros caminhos por si percorridos, ter apenas encontrado uma única linguagem comum, uma única moeda de troca, e essa língua, a possibilitar a comunicação supostamente impossível entre povos tão diferentes era o amor, o verdadeiro construto das grandes obras humanas e pedra basilar no transformar do sonho na mais pura das realidades. Ensinou-lhes o significado da solidariedade numa altura em que ser solidário era o equivalente à solidão, devolvendo-lhes a verdadeira essência do calor humano que, por estar arredio dos seus corações, o julgavam perdido. E também lhes ensinou artes perdidas pelo tempo, reavivou-lhes a memória ancestral de saberes esquecidos, artes nas quais as feridas nunca mais seriam fatais, artes nas quais poderiam exprimir todo o seu sentir, toda a imensidão sentida dentro de si mas que devida à falta de meios e ignorância mirrava dentro deles, começando também assim a desaparecer a alma de um povo. E por isso, ao devolver-lhes a essência, ao ressuscitar-lhes a alma recuperou-lhes o substracto que julgavam perdido no meio das suas imensas divisões. Indicou-lhes o sentido do futuro e as imensas vias que a ele dariam, disse-lhes, na profundidade e intensidade dos seus olhos negros, tão negros como o lugar de onde viera, ser o caminho das estrelas o caminho de todos os homens, mulheres e crianças, porque enquanto sonhavam em ganhar esse vácuo impossível melhorariam a sua vida de todos os dias, porque quanto maior a dimensão da ambição humana maior será o seu futuro e as hipóteses de o alcançarem. E foi num dia triste, no dia mais triste que conheceram, que o viram partir, que o viram desaparecer para sempre no meio das nuvens, envolvido em fumo mas também num sorriso belo, que exibiu desde que chegou e que nunca chegou a partir. Foi um dia de sombras mas também de luz, pois a sua partida anunciava também o início da bela odisseia que aquele povo estava prestes a começar, o início dos mais belos dias das suas vidas. Ele veio do céu das estrelas para os amar, eles de igual forma o amaram, mas nunca chegaram a saber realmente o lugar da sua casa, pois o céu era imenso e estava coberto de demasiadas estrelas.
Ele veio das estrelas e mudou as suas vidas para sempre

Conto protegido pelos Direitos de Autor
Miguel Patrício Gomes
Enviado por Miguel Patrício Gomes em 04/04/2006
Código do texto: T133434
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Miguel Patrício Gomes
Portugal
5545 textos (188517 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/04/21 20:25)
Miguel Patrício Gomes