Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Eu sou Sanderval, um cara normal


  Me chamo, ou melhor, me batizaram de Sanderval. O "cara normal" é de minha autoria mesmo. Uma das poucas que criei sem a interferência de ninguém. A alcunha não é gratuita pois sou um cara normal, sem muito pra falar e menos ainda pra fazer. O passar dos dias me tentam convencer da utilidade que tenho para os outros, quem sabe um figurante para existências mais interessantes, um expectador que não entende o que assiste, mas que também não abre totalmente os olhos. Será o meu nome? Sanderval não combina com  a mesmice de minhas roupas, da minha comida, das minhas cartas. Deveria mudar meu nome para João? Combinaria mais com minhas opções. Peraí, opções me cheiram a escolha e não lembro de ter escolhido ISTO! Me indicaram um caminho para seguir e simplesmente segui, sem olhar pra trás, sem olhar pra frente...
 Cheguei até aqui, sei que não há muita diferença no que vem adiante e que também não faz sentido ficar parado. Deve ser bom andar em círculos, pelo menos depois de um tempo a tontura justifica o procedimento, entorpece a autocrítica, legitima a mediocridade. Sanderval, um cara normal, sem sal,boçal,sacal,igual... Mau! Não posso negar que o seja. Mau comigo mesmo, isulto-me pelo motivo mais frívolo, a gema do ovo que cai em minha camisa é motivo para alguns bofetões na face. Perdi dois dentes no último surto. Mau com os outros. A minha faxineira acostumou-se com as minhas descomposturas e creio que até gosta popis pede-me para molestá-la verbalmente durante nossos insossos intercursos carnais. É quem sabe esta seja  a verdadeira razão de minha passagem por esse plano, compartilhar os humores e secreções com minha singela Formizelda. Penso as vezes na hilariedade que causaria  um possível convite de casamento " Sanderval e Formizelda convidam..."

  Limpo neste momento minha adaga para no momento certo tirar a salsicha que está presa na camada de gelo do congelador. Comerei-a com queijo ralado e doce de leite,  a minha única extravagância gastronômica da semana. Amanhã, quando eu acordar, antes de tomar banho e fazer a barba (que não tenho) eu continuo estes apontamentos.


  Sanderval
Comendador Montezuma de Monteverde
Enviado por Comendador Montezuma de Monteverde em 02/12/2006
Código do texto: T307552
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Comendador Montezuma de Monteverde
São Gonçalo - Rio de Janeiro - Brasil, 41 anos
3 textos (259 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 14:37)
Comendador Montezuma de Monteverde