Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

FRAGMENTOS DA INOCÊNCIA

Na verdade, isto é uma peça teatral, porém devido a falta de espaço no local ideal, publico como conto...


Sinopse


A fantasia está mais presente em nossas vidas do que imaginamos, mas será que conhecemos a realidade sobre a fantasia? Em que pessoas e casos foram inspirados os personagens de contos infantis? Neste espetáculo, o absurdo entra em palco, idéias e pensamentos inimagináveis têm seu ápice... Seja bem vindo ao comércio de sentimentos, seja bem vindo ao mundo da prostituição, das mentiras, da inocência que pensamos cultivar. A verdade é uma arma, e aqui ela com certeza vai ferir todo público, viver da verdade, ocultar a verdade... Para escapar da crueldade do mundo, e induzir as crianças nada melhor do que os clássicos contos infantis, mas e se eles nos colocassem ainda mais a frente da crueldade do mundo? Se fossem vítimas dela? Se tudo o que sabemos sobre as histórias de Branca de neve, Cinderela, Chapeuzinho vermelho, Alice, e tantas outras personagens fossem mentira?!!! Talvez todas existam e façam coisas que nos livros jamais fariam.Talvez... Talvez...

1º quadro


(A luz do palco acende, uma menina entra em cena, tem um livro em mãos)

Narrador:- Quase toda história infantil começa com “era uma vez”, e embora esta não seja uma peça infantil, vale repetir o dito, não somente por isso, mas porque é realmente um fantástico começo... “Era uma vez”, uma menina que adorava ler, filha de um homem muito rico, ela raramente conseguia se concentrar na leitura. Até que um dia pediu para o pai construir um lugar longe de tudo para que ela pudesse ler sossegada, seus contos de fadas.
O pai então construiu uma torre bem alta para a menina, que ficava quase todo o dia com seu livro no topo da torre. Mas quando a torre ainda estava em construção, uma senhora que morava na redondeza disse: “Esta menina irá sentir-se tonta na torre, desmaiar, e ficar muitos anos em coma. E os personagens de seu livro, irão escapar e mostrar a sua verdadeira face, até o dia que ela acorde e pegue o livro de volta para si.”
O que a senhora disse aconteceu, a menina desmaiou e entrou em coma, e os personagens tomaram vida, mostrando sua verdadeira face.

(A menina passa mal, alguém a leva, ela deixa o livro aberto sobre um pedestal no fundo do palco. Sai de cena. Sons de carro passando, buzinas, pessoas falando, passos, ruído de tic-tac, tic-tac, o som para. Silêncio total. A luz cai em resistência. Branca de neve, Cinderela, Chapeuzinho vermelho e Alice entram em cena, se posicionam, Gepeto entra em cena, um foco ilumina Gepeto)

Gepeto:- Enfim a noite, a lua, estrelas, e mistério para o homem realizar seus desejos... E lotar meus bolsos de dinheiro.

(Black out)

Gepeto: Espero que estejam prontas... Eu quero ver felicidade... Ou estão todas no olho da rua!

(Gepeto sai de cena. Um foco ilumina Branca de neve no canto norte/esquerdo do palco. O foco apaga, e acende no canto sul/direito do palco iluminando Chapeuzinho vermelho. O foco apaga e acende novamente no canto sul/esquerdo do palco iluminando Alice. O foco apaga e acende no lado norte/direito do palco iluminando Cinderela. Black out, Gepeto entra em cena, a luz abre totalmente)

Gepeto:-  Cinderela, eu tenho um cliente especial para você... Já vocês, é bom conseguirem algo rápido, não quero prejuízo!

Alice: - Sim senhor, Gepeto!

Fragmentos da Inocência    2/13.





Gepeto: - Cala a boca!

Alice: - Desculpe!

Gepeto: - Eu te mandei calar a boca!

Branca de neve: - Ela está tentando ser educada!

Gepeto: Não se meta!

Chapeuzinho vermelho: - Chega!

Gepeto: - Como se atreve!

Chapeuzinho vermelho: - Idiota!

(Gepeto vai em direção a Chapeuzinho vermelho)

Cinderela: - Não!

(Gepeto esbofeteia Chapeuzinho vermelho)

Branca de neve: - Como pode?!!!

Alice: - Covarde!

Branca de neve: (aproxima-se de Chapeuzinho) – Chapeuzinho...

Gepeto: - Chega... Acho que vou trancar vocês numa torre bem alta, mas por hora, um lugar térreo basta!

(Gepeto leva Branca de neve, Chapeuzinho vermelho e Alice até a parede e as prende em trancas imaginárias, Gepeto sai de cena)

Chapeuzinho vermelho: - Não dá mais, chega.

Alice: - Nós não viramos humanas pra passar por isso.

Branca de neve: - Acalmem-se, eu tenho um plano que vai nos tirar daqui em breve.

Cinderela: - Não vejo a hora disso acontecer!

Gepeto: (na coxia) – Cinderela!


Fragmentos da Inocência      3/13.







(Cinderela sai de cena, a luz cai em resistência)





Douglas Tedesco
Enviado por Douglas Tedesco em 30/11/2007
Código do texto: T759025
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Douglas Tedesco
Tijucas - Santa Catarina - Brasil
322 textos (57504 leituras)
35 áudios (2921 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 17:09)
Douglas Tedesco