Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O galo e a morte

"Nesse conto, a única coisa que inventei foi o título. O nomes e apelidos foram trocados."

Duas quadrilhas de traficantes disputavam a venda de drogas em uma cidade do interior de São Paulo. Uma quadrilha tinha como chefe o Maluco, outra o Dedé. O Maluco vinha comandando a venda de drogas a algum tempo e o Dedé chegou na cidade depois, recém saído de uma penitenciária de segurança máxima, onde cumpriu pena por tráfico, assaltos e homicídios. Quando Dedé chegou na cidade, jurou desbancar o Maluco, já que já tinha desbancado outros dois traficantes de menor potencial.
O Maluco era um bandido sangue bom, ajudava a vizinhança e gostava de beber e churrasquear, era morador do Bairro do Beco e próximo a sua casa aconteceu algo realmente assustador...
Uma família, morava em uma casa pequena, precária e tinha um bebê de mais ou menos um ano, e nos fundos do quintal um galo, que era considerado muito bravo, pois atacava as pessoas que entravam na casa. Um dia, a família se distraiu e a criança engatinhou até onde o galo se encontrava, o galo investiu na criança com bicadas fortes, atacou o indefeso bebê e bicou a cabeça do mesmo, na "moleira", ferindo-lhe fatalmente, ocasionando a morte do bebê.
A mãe, chegou no quintal e viu a criança morta, e o galo com o bico cheio de sangue, começou então a chorar, gritar e implorar socorro...
O Maluco, que ouviu a gritaria, foi ver o que tinha ocorrido e pegou o galo, então a  mãe da criança pediu e alertou: _Meu filho, mata esse galo e joga em água corrente; não come ele, senão vocês também vão morrer !
Só que o maluco levou o galo para a casa, passou a faca no pescoço e chamou três companheiros. Compraram cerveja, cachaça, depenaram a ave assassina e botaram o bicho na panela.
Como a carne era dura, ficaram a tarde inteira conversando, bebendo e esperando a iguaria cozinhar, porém, quando o galo foi servido, nas primeiras garfadas, o Dedé e mais dois comparsas chegaram de surpresa, armados e começaram uma verdadeira matança, um não chegou nem a engolir, morreu de boca cheia, os outros foram executados tentando correr, já o Maluco, tentou pular a janela, mas foi pego de surpresa por alguém que estava de guarda do lado de fora, foi baleado na cabeça e ficou pendurado, com metade do corpo para dentro e a outra metade para fora da casa.
Isso aconteceu, a história desse galo, quase todos na cidade conhecem e alguns realmente acreditam que o galo foi o responsável pelas cinco mortes, em um só dia.
BORGHA
Enviado por BORGHA em 24/01/2008
Reeditado em 31/01/2008
Código do texto: T830891

Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BORGHA
Guaíra - São Paulo - Brasil, 44 anos
319 textos (106156 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/05/19 17:20)
BORGHA