Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sailor Moon e Kim Possible se encontram

SAILOR MOON E KIM POSSIBLE SE ENCONTRAM
Miguel Carqueija

Dois vultos se esqueiravam pela penumbra da mata, até chegarem a uma clareira. Aí estacaram e olharam em volta. O mais velho, com o rosto quase oculto por um chapelão enterrado, e com um cigarro no canto da boca, observou:
— E então, Lupin? Uma vez que demoliram a cabana, vamos ter que usar algum plano B.
— O pior é que eu não tenho nenhum... — disse o outro, mais magro e de cara muito cínica.
— Afinal, quem terá tido essa idéia de jerico?
— Bem, Jigen, não podemos ficar aqui, vamos embora. Mas primeiro deixa eu olhar de novo...
E Lupin, o terceiro, retirou do bolso do paletó um magnífico diamante lapidado:
— Minha mais nova e bela conquista, a Maravilha da Birmânia...
Alguém, que se encontrava atrás das árvores, surgiu de repente:
— Já vi o que precisava ver! Entreguem isso!
Daisuke Jigen e Lupin III levaram um susto e encararam a garota de saia curta, botas compridas, longuíssimas tranças e um uniforme de todo inusitado.
— Quem é você? — quis saber Jigen.
— Eu não posso aceitar que se queira ganhar dinheiro do nada, roubando o que é dos outros! Vocês, ladrões de jóias, são muito audaciosos!
— Perguntei quem é você!
— Sou uma guerreira que luta pelo amor e pela justiça! Sou Sailor Moon, e punirei vocês em nome da Lua!
— Perdão, mas você se perdeu do baile à fantasia — ironizou Lupin. — Mas até que você é bonitinha.
Usagi fez uma expressão de perplexidade e Daisuke ponderou:
— Ela não estava na festa. Não havia ninguém assim...
— Seu tolo, ela se transforma. Escute, Sailor Moon: pelo que sabemos você só cuida de assuntos paranormais. Você não tem nada a ver com questões de polícia!
— Isso é o que veremos.
— Menina — disse Daisuke — nós somos perigosos, caso você não saiba.
Daisuke Jigen puxou a arma. Quase no mesmo instante um aro luminoso esbarrou em sua mão, fazendo voar a pistola; depois, numa trajetória de bumerangue, o aro voltou às mãos de Usagi e retornou à sua condição de tiara, que ela recolocou na testa.
— Agora entreguem essa pedra.
— Nunca! — dsse Lupin, ficando sério de repente. — Jigen, pegue sua arma e vamos embora.
Sailor Moon tornou a lançar a tiara que dessa vez fez saltar o brilhante da mão de Lupin III. A Princesa da Lua deu um grande pulo, apossou-se da jóia no ar e tornou a pegar a tiara.
Jigen, porém, recuperara a pistola e juntou-se a Lupin, que por sua vez pegou a sua.
— Não será uma garota que irá nos derrotar — disse o pistoleiro.
Nisso porém algo caiu sobre ele e Lupin, derrubando os dois. Uma asa delta descera de súbito e dela saltou uma jovem de calças compridas, barriguinha de fora e basta cabeleira loura. Ela rapidamente, aproveitando-se de estarem os dois ladrões atordoados, revistou ambos e afinal encontrou uma grande esmeralda com Jigen. Voltou-se então para a espantada Sailor Moon:
— O que você está esperando? Use logo o seu laço!
— Laço? O que você quer dizer com isso?
— Ué, você não é a Mulher Maravilha?
— Você está louca? Eu sou a Sailor Moon!
— Ah, desculpe!
— Muito bem, rendam-se as duas! — e Lupin deu o seu habitual sorriso sarcástico.
Kim Possible sussurrou:
— Não devíamos ter baixado a guarda...
— Ora, quem fez a distração foi você...
Lupin, arma na mão, aproximou-se de Kim Possible:
— Garota, você está nos perseguindo desde a América. Quem é você, afinal?
— Eu sou Kim Possible, e não gosto de ladrões.
— Podemos discutir isso, mas primeiro ponham as jóias no meu chapéu. No meu, porque o meu parceiro nunca tira o chapéu da cabeça.
Elas obedeceram e Lupin chegou-se a Kim, aproximando o rosto, insinuante:
— Você na verdade é uma garota muito bonita. Podíamos nos entender. Eu estaria disposto a dividir com você nosso lucro de hoje...
PLAFT!
Caído no chão, a mão na face esquerda machucada pelo tapa de Kim Possible, Lupin murmurou:
— Decididamente ela não é como a Fujiko.
Quando Jigen tentou uma reação Sailor Moon acertou uma pernada em sua arma. Num instante a situação se inverteu e as garotas estavam de posse das pistolas.
— Muito bem — Disse Kim Possible — acabou a farra. A jóia que roubaram do museu está comigo, e vou devolvê-la a seus donos. Essa outra... não sei de quem é.
— Eu sei — explicou Sailor Moon. — Nós só temos que entregar esses dois à polícia.
— Tenho que tirar o meu chapéu para vocês duas — disse Lupin em tom casual. Mas ao retirar seu chapéu da cabeça houve uma explosão de magnésio e os dois se aproveitaram para escapar.
— São muito escorregadios. Atrás deles, Sailor Moon!


A Princesa da Lua correu com a velocidade que lhe era peculiar. Para sua surpresa, Kim Possible acompanhou-a na base de piruetas.
Mas os dois já tinham pego o automóvel e retornado à estrada.
— Vai ser difícil... — observou Sailor Moon.
— Vamos voltar e usar a minha asa delta!
Elas correram em meio às árvores mas Usagi Tsukino teve uma dúvida:
— Mas se essa asa já pousou...
— Agarre-se em mim! Ela é especial!
Incrivelmente ela era um aparelho motorizado e saiu voando numa velocidade enorme, subindo além das árvores. Sailor Moon chegou a dar um grito de susto, o que motivou uma indagação de espanto de Kim Possible:
— Você está com medo?
— N-não... antigamente eu tinha, mas já amadureci...
— Então vamos!
Sobrevoaram a estrada até localizarem o carro da dupla, mas o mesmo estava sendo perseguido por dois veículos da polícia.
— Que corrida louca! — observou a Princesa da Lua. — Mas desse jeito a polícia não os alcançará!
— Também acho que não, vamos cortar a passagem dos malandros! Segure-se, Sailor Moon!
— Tenha cuidado! Não gosto de esportes radicais!
Kim Possible pisou no acelerador e os olhos de Sailor Moon se arregalaram de susto, logo porém ela reagiu, lembrando quem era.
“Eu sou Sailor Moon”, pensou, abraçando firme a Kim Possible enquanto esta conduzia o veículo aéreo.
Kim atravessou na frente do carro em disparada. Lupin se assustou mas não se intimidou e prosseguiu na corrida, nem se desviando. Kim já se preparava para uma solução mais radical, mas Usagi se antecipou e lançou o poder do cetro sobre uma das rodas do automóvel. Apesar dos esforços do motorista, não teve jeito: o auto danificado rodopiou e foi bater no acostamento.
Em poucos segundos a polícia chegou, chefiada pelo policial de aspecto quadrado, o Inspetor Zenigata.
Meio esparramado no banco, Lupin deu um sorriso amarelo quando o policial abriu a porta:
— Ora, meu velho amigo Zenigata! Há quanto tempo não nos víamos!
— Cale a boca e saia daí sem truques!
Os policiais eram numerosos e não tiveram problema em algemar Lupin e Jigen. Então o inspetor voltou-se para Sailor Moon:
— Você de novo? Eu adoraria se não voltasse a encontrá-la. Quem é a sua amiga?
Contendo-se, Sailor Moon explicou:
— É a Kim Possible, veio dos Estados Unidos. O senhor já deve ter ouvido falar dela. Todo mundo já ouviu.
— Inspetor — disse Kim Possible, mal ocultando a irritação. — nós pegamos os bandidos para o senhor.
— É mesmo? — disse o Sargento Mifuno. — O carro deles derrapou, só isso.
— O senhor sabe que não foi isso — disse Sailor Moon, olhando firme o policial.
— Ela tem razão, inspetor — interferiu Lupin III, com seu horrível sorriso de cínico. — Essa geringonça aí nos fechou e a sailor ainda mandou um raio nas nossas rodas. Você nunca conseguiria nos pegar.
O inspetor pigarreou e observou:
— Que seja! Agora, onde estão as jóias?
— Aqui está a jóia da Birmânia — e Sailor Moon a exibiu.
— E aqui a do museu de arte de minha cidade.
— Por que estão com vocês?
— Ué, lutamos com eles e recuperamos as pedras para devolvê-las. Só estávamos atrás deles para que não fugissem.
Zenigata recolheu tudo, entregou a Mifune e voltou-se para as duas:
— Eu agradeço muito a pequena ajuda que deram. Agora podem ir.
— Não vai tomar nossos depoimento? Não temos de ir na delegacia?
— Não precisa essa burocracia! Mifune, grave os depoimentos delas mas por favor não demorem! Temos de ir para o acostamento ou ir embora para não ficar obstruindo a estrada!
— Parabéns, inspetor! — ironizou Jigen, que com Lupin tudo ouvia. — O senhor vai conseguir todos os louros da operação!
— Kinamoto, leve esses dois! Mas tomem muito cuidado!
Lupin adiantou-se um pouco, sendo contido por Kinamoto:
— Parabéns, Sailor Moon e Kim Possible! Vocês são verdadeiras adversárias! Mas lembrem-se: não existe cadeia para prender Lupin III por muito tempo! E quando estivermos livres... eu tratarei de dar o meu maior golpe: roubar o cristal de prata que você usa nesse broche!
Usagi teve um movimento de horror e agarrou o broche:
— Roubar o Sagrado Cristal de Prata! Sacrilégio!
— Levem-no, por favor — falou Kim Possible. — Inspetor, detesto violência mas sou capaz de bater nesse sujeito!
— Ele já está indo embora. Agora por favor dêem seu depoimento que eu também tenho que ir!

................................



Mais tarde Kim Possible e Usagi tiveram uma breve conversa antes de se separarem:
— Sailor Moon, você está mais bem informada sobre esses bandidos. Acha que realmente vão fugir?
— Temo que sim. Veja, Possible: aquele inspetor vive só para prender Lupin III, que já escapou dele muitas vezes.
— Ele sempre está em dupla com o tal atirador?
— o Jigen? Sim. Ainda tem um terceiro, o Gaemon, que é espadachim e muito perigoso. É possível que tente resgatá-los.
— E essa ameaça que Lupin fez? De roubar o seu cristal de prata?
— Ele pode até tentar, mas não é qualquer um que tira isso de mim.
— Bem. Já tem meu telefone, Sailor Moon. Pena que não possa dar o seu.
— É que, diferente de você, minha identidade não é conhecida.
— Sei como é. Posso deixá-la em qualquer lugar da cidade?
—Não precisa. Eu escolho o lugar onde me destransformo e posso me mover tão depressa quanto o seu aparelho.
— Então eu já vou. Cuide-se, Sailor Moon. E se aqueles dois escaparem me avise que eu virei.
As duas se abraçaram com força.
— Fiquei muito feliz em conhecê-la, Kim Possible. Você é fabulosa.
— Também fiquei feliz em conhecê-la. E eu vou dizer o que de você?
Kim voltou à asa voadora e partiu pelos ares em questão de segundos.
A Princesa da Lua Branca ficou a observá-la até que ela sumiu na distância.

Rio de Janeiro, 19 de junho a 20 de julho de 2021.


Sailor Moon, criada no Japão por Naoko Takeushi em 1991.
Kim Possible criada nos Estados Unidos por Bob Schooley e Mark Mc Corckle em 2002.
Lupin III criado por Kazhuiko Kato no Japão em 1967, baseado em Arsène Lupin, criado na França em 1904 por Maurice Leblanc (Lupin III seria o seu neto).




 
Miguel Carqueija
Enviado por Miguel Carqueija em 22/07/2021
Código do texto: T7304649
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Miguel Carqueija
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 72 anos
4045 textos (302774 leituras)
61 e-livros (6162 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/07/21 19:58)
Miguel Carqueija