Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

RENASCIMENTO - Revelações

Ao retornar ao castelo, solicitei a presença do governante desse castelo, precisava saber de muitas coisas, então quando ele chegou a minha presença solicitei explicações sobre tudo, e penso que apenas ele teria as respostas.
Foi quando ele né entregou um frasco, informando que eram ordens de seu soberano, e que encontraria todas as respostas, naquele sangue, pois nossa espécie é capaz de organizar tudas as informações e concentra-las em doses de nosso sangue, direcionadas a um determinado de nossa espécie, e ele seguiu como tinha que ser.
Ao entregar o sangue do soberano daquelas terras ele se afastou e me deixou com meus pensamentos, ao ingerir o sangue de Toran, todas as respostas que precisava foram reveladas, e me sentia mais tranquila.
Sabia que ele estava seguro, havia partido para o novo continente, acompanhando Drake, em uma de suas viagens, e por direito o castelo seria entregue a mim, por ter salvo sua a vida a muitos séculos atras., Fiquei feliz com as respostas e sabia que devia honrar sua decisão, e respeitar as leis daquela casa, embora saiba que muitas coisas iriam mudar, e ele também sabia disso.
Agradeço Simon, esse eh o nome do governante daquele castelo, sabia que era fiel a teu senhor e seria a.mim tambem.
Verifiquei se todos estavam devidamente acomodados e alimentados, só então fui para meus aposentos, imaginando qual seria meu futuro, vivi anos reclusa de tudo e de todos e teria de me adaptar a vida em sociedade novamente, pois a responsabilidade da vida dos habitantes do castelo agora era minha, protege-los e mantê-los em segurança era necessário.
Não consegui adormecer, minha mente estava agitada demais pra isso, sabia que ia servos iam estranhar minha presença durante o dia, mas deveriam se acostumar , afinal era a nova Soberana daquelas terras.
Então fui até o salão, onde se encontravam os moradores do castelo, haviam famílias lá, que serviam Toran a séculos, a maioria lycans, com seus grilhões, essa era a diferença latente entre eu e Toran, ele os tratava como seres inferiores, criados apenas para servir nossa espécie, e eu não podia fazer isso, depois de tudo que vivi.
Quando entrei no recinto, todos se curvaram, pedi que se levantassem e fui logo dizendo:
- Sou Drakon, a nova senhora desse castelo, como desejou Toran, mas não quero vocês como servos...
Nesse momento todos se agitaram, então Simon, pediu silêncio e tornei a falar:
- Como estava dizendo, não desejo ter servos, serão todos libertados de seus grilhões, se desejarem ficarão no castelo como funcionários, com direito a salário e moradia, mas se desejarem partir, serão livres pra isso, esse é o meu desejo, apenas peço lealdade aos que permanecerem
Eles se entreilharam, sem entender nada, ordenei que Simon retirasse os grilhões de todos, sem distinção, finalmente conheceriam a liberdade, como todo ser deveria ser, alguns se foram, mas muitos ficaram, então falei a eles:
- Agradeço aos que ficaram, aviso que manterão suas funções, só que agora devidamente remunerados por isso. Espero que a harmonia seja mantida nesse castelo, e agora, voltem a seus afazeres, tenham um ótimo dia.
Falando isso, voltei para o salão principal, acompanhada de Simon, que logo me indagou sobre minha decisão, apenas expliquei que todos merecem ser livres, nada mais, inclusive ele, que serviu por séculos essa casta.
Ordenei que fossem construídas acomodações aos funcionários, para habitarem com suas famílias e assim foi feito, ao.lado sul do castelo, as casas foram erguidas, pareciam estar felizes assim.
O tempo passava lentamente naquele lugar, o capitão Drake ainda estava no castelo, junto com seus comandados, já que fui informada por Simon que passavam metade do ano em terra e outra metade no mar, então não me importei com isso, era um acordo dele e Toran e iria respeitar isso.
Quase não tinha contato com os piratas, pois havia uma ala do castelo reservada exclusivamente a  eles, o que não influenciava na rotina do castelo, eles passavam os dias na manutenção do navio, que por sinal era lindo, jamais havia visto um navio.pirata, e admito que é realmente fascinante, e isso. Me encantava.
Eu passava o dia entre administrar o castelo e aprender a entender esse novo mundo, no qual.vivia , era tudo tão diferente, mas longe dos humanos era tudo mais fácil.
Condessa Drakon
Enviado por Condessa Drakon em 14/02/2020
Código do texto: T6866097
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Condessa Drakon
Mogi das Cruzes - São Paulo - Brasil, 52 anos
507 textos (23932 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/02/20 04:25)
Condessa Drakon