Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O GRANDE DESAFIO (homenagem a meu pai José Ferreira Chaves)

      Sou um jovem rapaz
      Que gosta de poesia
      E quando tem adivinhas
      Enche-me de alegria .
      Mas , querendo ser sabido
      Fui com meu pai atrevido
      E paguei até o que não devia .

      Desafie-lhe certo dia
      Para disputar adivinhação
      Na mesma hora ele topou
      Sem nem mesmo fazer questão .
      Disse nunca ter me batido
      Mas por ter sido atrevido
      Me daria uma lição .

      Ficou combinado assim
      Em versos eu perguntaria
      Fosse a pergunta que fosse
      Da mesma forma responderia .
      Só argumentos convincentes
      Não valiam respostas indecentes ,
      Trocadilhos nem baixaria .

      Meu pai o que eu quero saber
      É algo que está tirando a minha paz .
      Trata-se de uma dúvida cruel
      Que já não aguento mais .
      E há tempos vem perturbando minha mente :
      Afinal o que a mulher leva na frente
      Que o  homem carrega atrás ?

       Meu filho te respondo agora
       E a minha voz nem treme .
       Essa é muito mais fácil
       Que tomar sorvete de creme .
       E sem nem pensar em maldade
       A resposta na verdade
       Não é mais que a letra M .

       Realmente tem razão ,
       Resposta em cima da linha  !
       Agora me prove e convença
       Sem mesmo fazer gracinha
       Responda curto e ligeiro :
       Diga quem nasceu primeiro ,
       Foi o ovo ou foi a galinha ?

       Deus em sua sabedoria
       No mundo fez tudo novo .
       Está escrito lá em Gênesis
       A palavra de Deus ao seu povo .
       Fala bem lá nas escrituras
       Que ele fez todas as criaturas
       Porém não menciona nenhum ovo .

       Mais uma vez meu pai
       Não me leve a mal
       O que eu quero saber agora
       Nada tem de imoral .
       Me diga o que é o que é
       Que tem em toda mulher
       Que cheira bacalhau ?
     
       Desculpe meu querido filho
       Mas fostes muito infeliz .
       A pergunta que fizeste
       Qualquer um sabe diz ,
       Que por mais que ela queira
       Toda mulher só cheira
       Se for com o nariz .

       Subestimei meu velho
       Pois tudo ele sabia .
       Então mudei a estratégia
       Para ver se o venceria .
       Contudo nada adiantou
       Toda pergunta ele acertou
       Com eficácia e maestria .

       Farei outra pergunta
       Mas não fique encabulado
       É uma coisa muito simples
       Até para quem não é estudado
       Afinal , o que é o que é
       Que sempre cai  em pé
       Mas só corre deitado ?

       Pergunta muito interessante
       E a resposta se encaixa como uma luva .
       Basta que olhemos para o céu
       E já a veremos límpida e sem turva .
       Trata-se de um presente divino
       Que Deus manda para o nordestino :
        Nossa tão querida chuva .

       O senhor é muito bom ,
       Porém agora se deu mal .
       Procure em sua mente
       O nome de um animal
       Que com oito letras distantes ,
       Não repete nenhuma consoante
       E também nenhuma vogal .

       O bicho que tu queres
       Direi logo sem engano .
       Na água é um bom pescador
       E tão esperto quanto o cigano .
       Não vou mais me atrasar
       Pois a resposta irei te dar :
       O animal é o pelicano .

       Tentei complicar as coisas
       Para ver se ele iria errar .
       Mas me dei mal outra vez
       E todas ele conseguiu acertar .
       Meu pai é tão inteligente
       Que parece que tem na mente
       A máquina de adivinhar .
       
       Tudo indica meu velho
       Que estou levando uma sola .
        Mas me responda outra
        Sem pesca e nem cola .
        Diga-me então você ,
        Pois quero muito saber :
        Quantos lados tem uma bola ?

        Ah , meu querido filho
        Essa te digo sem demora .
        Pois é tão fácil
        Que respondo logo agora .
        Então te digo pois ,
        Que os lados são dois :
        O de dentro e o de fora .

       Continuando a peleja
       E sem usar linguajar imundo .
       Responda minha pergunta
       Sendo bastante profundo .
       Todo tipo de dor é ruim
       Mas diga agora para mim
       Qual é a maior dor do mundo ?

       Das leis naturais da vida
       Algumas conheço eu .
       Sei que tudo que nasce morre ,
       Só não morre o que não nasceu .
       Sei que os filhos é quem enterram seus pais
       Mas , nada nesse mundo dói mais
       Que uma mãe enterrar um filho seu .
       
       Conheço muita gente esperta
       Porém o senhor é um dos mais sabidos .
       Sendo assim desta forma
       Respondeu aos meus pedidos .
       Agora responda sentado ou em pé
       Por que nem no dilúvio de Noé
       Choveu dois dias seguidos ?

       Agradeço os seus elogios
       Embora isto me provoque receio .
       Uma vez que parece falsidade
       E disso já estou cheio .
       Voltando ao que interessa gente
       Não precisa ser muito inteligente ,
       Para saber que teve uma noite no meio .

       Digamos que teu filho mais velho
       Com tua sogra se envolveu
       E deste inesperado romance
       Um menino nasceu .
       Diga-me agora você
       Que eu mesmo quero saber
       O que esse menino vai seu  ?

      A pergunta não é simples
      Porém eu sei o resultado .
      É meu parente duas vezes
      E não fique assustado .
      Pois só falarei o correto :
      Por um lado é meu neto
      E por outro é meu cunhado .

      Minha derrota foi certa
      Paguei pelo meu atrevimento .
      Pensei ser inteligente ,
      Foi engano de momento .
      Meu pai conseguiu provar
      Que a experiência é exemplar
      E nos traz muito ensinamento .
       
       


       

     
Igor da Silva Chaves
Enviado por Igor da Silva Chaves em 11/01/2019
Código do texto: T6548706
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Igor da Silva Chaves
Pacatuba - Ceará - Brasil, 39 anos
318 textos (5203 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/05/19 10:01)
Igor da Silva Chaves