Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CONTOS DE UM POETA


Titulo:
Diga não a certas coisas.
01
Eu não consigo acreditar
Como é que pode um sujeito
Chega perto de outra pessoa
E ver na cor dele um defeito
Vamos mudar essa ideia
Crie pra você outra plateia
DIAGA NÃO AO PRECONCEITO
02
Seja sincero e corajoso
Não entre neste abismo
Valorize mais o ser humano
Deixe deste pessimismo
Não rejeite e nem despreze
Quando fala sua cor não transfere
DIGA NÃO AO RACISMO.
03
Pra viver com respeito
Não pratique o genocídio
Isso é falta de consciência
Até pra quem pratica suicido
Respeite a sua companheira
Veja ela como uma guerreira
DIGA NÃO AO FEMINICÌDIO
04
Viva em paz consigo mesmo
Mostre toda a sua exercia
Seja simples e comunicativo
Porém sincero e com decência
Tenha sempre Deus no coração
Com muito amor e gratidão
DIGA NÃO A VIOLENCIA
05
Quando se planta o respeito
Cria-se uma nova visão
Dá um bom dia e boa noite
E um sorriso de satisfação
Quem age desta maneira
Pula grita na brincadeira
DIGA NÃO A FALTA DE EDUCAÇÃO


06
Desculpe minha sinceridade
O que falei não é bobagem
Apenas rabisquei em verso
Falei destes tristes personagens
Pra encerrar eu quero dizer
Que fui bem claro pra você
DIA NÃO A LIBERTINAGEM.

Autor:
Poeta Barbosa Filho

Titulo:
Muito obrigado caro amigo poeta.
01
Hoje recebi um presente
Que muito me emotiva
Do poeta Murilo Barroso
No titulo tem essa narrativa
Um livro em texto de cordel
Escrito por esse menestrel
“Um aprendizado de Patativa”
02
Obrigado meu caro poeta
Pela honrosa dedicação
Escrito, porém na contra capa.
Feito de caneta por sua mão
Foi entregue pelo um amigo
É poeta e sempre estar comigo
Por ele e você tenho admiração
03
Deixo aqui em poucas linhas
Minha admirável satisfação
Vou ler com muito prazer
Cada estrofe na sua conotação
Vou degustar seu raciocino
Peço a Deus o nosso pai divino
Que lhe der paz, amor e benção.

Autor:
Poeta Barbosa Filho

Titulo: Que mundo esse?
01
Eita que mundo é esse?
Que certos homens adota
Briga com a companheira
Onde depois ela é morta
Por causa do ciúme
Esse maldito costume
De acha que a mulher é nota
02
Uma nota promissória
Que você fica a dever
Onde acha que a mulher
Tem que viver só pra você
Se disser que não der mais
Ele vira um satanás
Ai comesa faz ela sofrer
03
Sofrer com desaforo
Com ameaça e coação
Ainda o espancamento
Que triste a situação
Hoje esse tal Feminicídio
Ou melhor, dizendo homicídio.
É o fim de uma relação
04
A população brasileira
Tem que mudar esse ato
É triste esse absurdo
Precisamos ser bem exato
Sendo homem de verdade
Esbanjando felicidade
Vamos acabar com esse fato

Poeta Barbosa filho

Titulo: Nos laços da aflição
01
Nos traços do sentimento
Eu descrevo a saudade
Hoje vivo resumido
Entre o medo e a felicidade
Minha vida estar assim
Meio termo meio fim
Essa é a dura realidade
02
Sem contos sem vaidade
Essa é parte da história
Se Deus prepara tudo
Tem o tempo tem a hora
Se eu estou em suas mãos
E cumprindo essa missão
Estarei no reino desta gloria
03
Nem tudo se comemora
Quando existe um lamento
Pra uns a recordação
Pra outro o sentimento
Quem parte é decidido
Chega de tempo sofrido
E vida sem fundamento
04
Desculpe meus leitores
Essa minha narração
Contei o que vivo agora
Não é fruto da imaginação
Essa é a minha realidade
Pautada pela a verdade
Nos laços da aflição

Autor:
Poeta Barbosa Filho

Título:
Meu dilema é esse, não desejo pra ninguém.
01
Passo pelo o que passo
Por conta da deficiência
Depois do que já sofri
Enfrento a resistência
Pois se não me controlar
Estou sujeito a me apagar
Se não cumprir a exigência
02
O nordeste é muito quente
Porém é um calor arretado
Quando não existe o sol
Fica o tempo abafado
Ai eu começo a sofrer
Pra melhor assim lhe dizer
Isso é ruim pra um infartado
03
Existem uns caras doidos
Que faz só por pirraça
Toca fogo no entulho
E ainda sai achando graça
Deixa a gente no sufoco
Desesperado feito louco
Sufocado com tanta fumaça
04
Como é duro a gente viver
No mundo da poluição
Tenho um serio problema
Que vem do coração
Ele é lento quase parando
Às vezes eu fico pensando
Que triste a minha situação

Poeta Barbosa filho...

Titulo:
O seu jeito é o meu viver
01
No caminho da ausência
Eu encontrei a saudade
Foi na sombra do perigo
Que encontrei a fatalidade
Foi no sorriso dos teus lábios
Que eu vi a felicidade
02
No afago dos teus braços
Eu encontrei o carinho
Na forma de teu querer
Senti que não estou sozinho
Foi no leito da sua cama
Que encontrei o meu ninho
03
Foi no brilho dos teus olhos
Que acendeu meu viver
É na forma de cuidar
Que eu vejo o amanhecer
E a razão de sua vida
A existência do meu viver
04
Na necessidade das palavras
Eu aprendi a ler e escrever
Eu sou a metade da metade
Só agora vim entender
Juntos a gente se completa
Quando sou eu e você

Poeta Barbosa filho
POETA BARBOSA FILHO
Enviado por POETA BARBOSA FILHO em 02/12/2019
Código do texto: T6809195
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
POETA BARBOSA FILHO
Iguatu - Ceará - Brasil, 55 anos
39 textos (1096 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/19 00:24)
POETA BARBOSA FILHO