Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto



SERENATA PRA MIRA IRA



Vim fazer uma serenata
Debaixo desse balcão
Pra poetisa que maltrata
Um saudoso coração.

São cinco dias calados
Sem poesia ou brincadeira,
Estamos desesperados
Onde tu estás, companheira?

Volte aqui para o Recanto
Esperamos com ansiedade
Não controlamos o pranto
Vem matar nossa saudade.

Eu não sei fazer poesia
Mas cordel posso fazer,
Pra fugir da agonia
E esta dor esquecer.

Volte logo, princesinha
O sexteto está esperando
Pra ouvir suas gracinhas
Nós estamos te aguardando.

*****

Mira Ira apareceu, leiam sua mensagem:

Minha doce poetisa,
vim correndo lhe avisar;
que eu estou muito ocupada
e sem tempo pra rimar.
 
Eu bem sei que estou em falta
com todos os meus amigos;
mas lhes peço piedade,
tenham paciência comigo.
 
Logo, logo eu acabo
o que nunca se acaba;
aproveito o ensejo e mando 
um beijo pra poetada. 

Para a Milla e pra Ângela
mando grande encantamento;
mais pro Boto e pro Baiano
mando só um cumprimento 

Um  abraço beeeem demorento, sô. Ulli, eu vorto.
 
*****


Vejam a canção que a  Milla Pereira cantou sob o balcão da Mira Ira:


Minha doce poetisa
Chegando agora eu vi
Que à nossa amiga avisa
E por isso eu senti.

Que estás passando bem
nada aconteceu contigo
E os outros cinco têm
O sexto membro amigo

Cuide do que de direito
Mas volte pra nós correndo
Não podemos, desse jeito
De saudade estar morrendo! 

Ô. amiga Uli! Só vc mesma pra trazer pelo menos uma notícia de nossa querida Mira. Obrigada por isso. Uma boa noite! Beijos, Milla.


****


Nosso "Boto Trovador", Pedrinho Goltara, deixa aqui seu canto apaixonado pra Mira Ira:

Claraluna descobriu
Da Mira, o paradeiro
A poetisa sumida
Foi para o Rio de Janeiro.

Dizem que na festa
Na casa dela arumada
Encantou-se com um rapaz
Ficou muito enamorada.

O rapaz que eu falo
Era o Boto disfarçado
Não era de Minas Gerais
Mas,d'um vizinho estado.

Ela fugiu com ele
Só agora se tocou
Que não é um capixaba
O Boto que ela amou.

 
Valeu, Claraluna. Bjos 


****


Aí o cumpadre Airão num guentô a sodade e veio dexá sua cantiga cheia de amô e carinho:

 
Vivenu aqui na róça
Na mia vidinha pacata
Tóco a gaita na paióça 
Pra ajudá na serenata.

Para o meu doce encanto
Qui deu di dizaparecê
Sumiu aqui du recantu
Pra longe deu e di oçê.

Diz qui ta pru rio de Janêru
Qui o seu PC inté quebrô
Deu descurpa pra Airam Ribêru
Mai inté oji num vortô.

Vêiz in condu ela aparece
Só pra dizê qui num sumiu
Vorta minina! vô fazê prece
Pra tu saí logu dêçi Rio.

Num fique ai mais não!
Aparece num fica sumida
Mutio coidadu viu meu coração,
Coidadu cum as bala pirdida! 


****

Até o "aspone" do Zezito que vive às custas do Pedrinho, quis cantar pra nossa amiga Mira Ira:


Cêis pára di falá
Déça minha minêra
Tá chêi de trabáio
E istuda a nôite intêra
Pá num ficá iguáu ancêis
Qui fálam máu u Purtuguêis
E só sábi falá bestêra.

Istude, gênte, nunca é dimáiz
Fiquim çêndo coma eu sô
Do tár Pedrím Bostára
Sô ôji um assessô
Quâno êle num tá num lugá
Tomêm lá eu nunca tô!

 Istude, Mirinha, minha flô
Num fassa iguár as amíga
E cunhissídas du Antenô
Ancê é inté apraudída
Pôr um bôtu trovadô.


****


Olhem só que entoada e bonita é a cantiga que a Angela Rodrigues entoou sob o balcão da poetisa:

Clarinha qui aligria
Que a Mira apariceu
Tive tanta saldade
Que ate mandei i-meul.
cobrano as suas pusia
e ela logo respundeu
dizeno que ta ocupada
trabaino por demais
pra nois focar sussegada
quela volta logo mais.
Mas sinto farta da danada
que nos da tanta alegria
comentando nossas puesia
brigada pu ocê
fazer essa serenata
assim ela vai ver
como a nois ela faz farta
e vem logo pru recanto
lugar de poeta boa
que cuns verso encanta
e nunca nos magoa
purisso Mira Ira
trate logo de arrumar
um tempim pra vir aqui
fazer versu e rimar,
purque aqui sem sua presença
é difícil de aguentar!!!! 

Abraços a todos vocês que aprendi amar e admirar!!!! Bjos.


****


Querida Mira, o caro poeta e escritor Manuel Oliveira veio mostrar a todos que também tem voz bonita. Vejam a letra da canção por ele interpretada:


Mira tá vendo o que você fez
Provocou uma serenata da turma que "crontei" seis
Claraluna preocupada perguntou para um francês
Por onde você estava respondeu um japonês
Ela está ali, aqui, e bem dentro do coração de vocês
E eu ouço a serenata e o canto de todos seis
Mira! Mira! Mira!Mira!A canção: "Fica de vez". 

Claraluna e toda turma G.U.S.S.P.V./G.U.S.P.M. Gostei de ler!
 
 ****

Querida Mira, pensou que havia terminado a serenata? Enganou-se, o poeta maior lá de Santa Catariana, Maurélio Machado, afinou a viola, fez um gargarejo e soltou a voz:


Vocês são demais
Minhas queridas amigas
eu não seria "capaiz"
de cantar estas cantigas
eu também estava sofrendo
com tudo que aconteceu
pois a turma vivia dizendo
que a Mira desapareceu.
Que bom que foi passageiro
o sumiço desta arteira
pois tinha muito fuxiqueiro
acreditando em asneira
Não faça mais isso amiga
desaparecer por um tempo assim
sabes que és muito querida
por todos daqui e por mim!
 
Rsss, valeu pessoal, beijos

****

Hull de La Fuente
Enviado por Hull de La Fuente em 12/11/2007
Reeditado em 16/11/2007
Código do texto: T734669
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Hull de La Fuente
Brasília - Distrito Federal - Brasil
2667 textos (400089 leituras)
2 e-livros (184 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/17 03:18)
Hull de La Fuente