Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Os Perigos do Amor

Sabe aquela menina
Linda e desavergonhada
Elegante e feminina
Que o todos se entregava?

Troquei olhares com ela
Investindo só pra ver
Se ela me dava trela
E parti pra resolver

Consegui um encontro
Ela resolveu me dar bola
Logo me veio em encanto
Era a mais linda da escola

Começamos a sair
Em menos de um dia
Ela me convidou para ir
A casa de uma tia

Aceitei tão prontamente
E não me fiz de rogado
Ficar com ela somente
Eu fazia de bom agrado

Sua tia viajara
Isso eu estava esperando
E a tal tudo arranjara
Pra ficarmos namorando

Achei estar apaixonado
E a camisinha esqueci
Dei-me por abandonado
E em seus braços me perdi

Ela insistiu pra parar
Mas tinha dado a partida
Queria comigo ficar
Mas não estava prevenida

Eu disse relaxa meu bem
Que tudo esta muito bom
Você quer e eu também
Negar não é de bom tom


Tudo rolou numa boa
Sexo bom e bebida
Falando assim ate soa
Foi a melhor da minha vida

Desse dia vou te contar
Tudo mudou na minha vida
Não posso contigo ficar
Ela falou comovida

Pedia desculpa chorava
Dizia querer vida normal
Que a culpa com ela morava
Por me fazer tanto mal

Foi aí que ela falou
Que era soropositivo
Assim ela continuou
E eu atônito, arrependido.

Que não conseguiu evitar
Dizia em voz desesperada
Que queria se matar
A sua vida era errada

Entre penalizado e comovido
Ao desgosto me entreguei
Se por amor eu duvido
A uma traição me entreguei

Ao chegar no hospital
Tive que contar com a sorte
Melhor a pena capital
Perdi o meu rumo norte

Enquanto eu esperava
Para as drogas receber
A toda hora contava
Quanto faltava pra morrer

Uma hora comecei a chorar
Uma mulher veio a mim
E disse ao me abraçar
Não é tão mal assim

A doença não tem cura
Mas vai levar vida normal
Deus ajuda a quem procura
E me tratou como igual

A um médico memorável
Contei-lhe tudo na hora
Em um grupo vulnerável
Eu me encaixava agora

O médico disse o remédio
Tinha comprovado eficácia
Se for levado a serio
E me levou a farmácia

Hoje a AIDS tornou-se crônica
Se tratada adequadamente
E minha historia não é única
Serve de exemplo somente

Da garota nunca mais tive noticia
Dela não guardo magoa ou rancor
Nem acho que seja caso de policia
Mais dela não quero nem ver a cor

A culpa também foi minha
Pois não quis ouvi a razão
Se for transar leve camisinha
Faça tudo com proteção

Pra esses versos terminar
Sobre um tema tão sinistro
Trate do seu corpo cuidar
Não faça seu meu registro
Claudo Ferreira
Enviado por Claudo Ferreira em 07/12/2007
Reeditado em 07/01/2008
Código do texto: T768318
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Claudo Ferreira e o site Recanto das Letras) e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Claudo Ferreira
Tabuleiro do Norte - Ceará - Brasil, 53 anos
272 textos (38482 leituras)
81 áudios (6578 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/17 15:07)
Claudo Ferreira