Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

     Imagem retirada do arquivo do site Silvio Santos - Quadro "Boa noite, Cinderela!"

"BOA NOITE, CINDERELA!"


Nunca assisto. Mas, estavam lá tão ligados e o dia pedia que eu ficasse mais próxima a eles. Então, me ajeitei no sofá da sala, abraçada a um travesseiro e assisti com meus pais o programa do Raul Gil.

Até que foi bom, vi talentos brasileiros anônimos. Cantores com potenciais elevados e fora do mercado. É incrível como tem tanto cantor fazendo sucesso sem qualificação e quem tem talento não tem oportunidades...

Em dado momento, eu ali junto a meus pais, aquela cena pareceu-me um “déjà vu”.  É... Como se eu já tivesse passado por aquilo, tivesse vivido aquele momento. E, de repente eu fui reportada para outra época.  Deve ser por que Páscoa quer dizer "passagem", deve por isso que passei por essa sensação de já ter vivido aquilo... Sim, eu viajei no tempo e me vi deitada num outro sofá, com a cabeça sobre as pernas do meu pai assistindo ao programa do Silvio Santos. Só que era aquele quadro “Boa Noite, Cinderela". Você se lembra?

É, o tempo passou depressa e ao mesmo tempo lá naquele momento, na sala onde eu fui criança, ontem tive a sensação de que o tempo havia parado, talvez para que eu resgatasse ou valorizasse alguma coisa...


E quis entender o motivo dos meus pais gostarem tanto de assistir aquele programa. Então, percebi que o programa Raul Gil era um dos últimos elos que os ligava ao passado. Através do programa eles reviviam uma época dourada deles! Assim como eu fui reportada para minhas tardes de Cinderela, eles certamente recordavam da saudosa época em que ainda eram jovens.

Lembro que não perdia um programa do “Boa noite,Cinderela”. Eu e as meninas da mesma idade minha. Era só tocar o jingle “Boa noite, Cinderela tá na hora de você sonhar...” para eu sonhar em ser uma princesinha também e ganhar todos aqueles brinquedos propostos na programação.

Pena que não terei um programa como o Raul Gil para curtir quando estiver no alto dos oitenta anos feito meus pais. Não assisto programas de auditórios, dificilmente consigo assistir ao Fantástico... Só assisto filmes, desenhos, séries, documentários e um programa que adoro chamado Decolando.

Qual será o elo que terei para recordar meu passado? Hoje nada mais  permanece, tudo está sempre em ligeira mutação, tudo é transitório... Não há nenhum programa que me prenda, que me desperte a vontade de acompanhar, de criar elos.

Bem, no momento não encontro algo para lembrar-me do passado, pois por enquanto vivo meu presente. Então, pego carona na viagem dos meus pais e vou matando a saudade da guria que outro dia conheci nos espelhos de algum lugar do passado...

Tem algum programa que o reporte para alguma época, para suas reminiscências? Diz aí, vai... Partilha!

Djanira Luz
Enviado por Djanira Luz em 12/04/2009
Reeditado em 13/04/2009
Código do texto: T1535908
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Djanira Luz e o email: djanluz@oi.com.br e http://djaniraluz.blogspot.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Djanira Luz
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
1367 textos (227175 leituras)
14 áudios (3182 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/01/19 11:14)
Djanira Luz