UM ATO DE CIDADANIA (obrigatório)

Fui lá, como todos os brasileiros que ainda votam, digo por que alguns que já passaram dos setenta nem são mais obrigados a votar e como dizem que é um dever cívico, de cidadania embora sejamos obrigados, votei e os números foram os que minha intuição ditou... Creio, que de tão ansiosa para sair daquele ato DE CIDADANIA, pois, não é assim que eu considero devido a ser uma questão de obrigação e em minha opinião, obrigação só com as dívidas que contraímos por não ser possível sobreviver sem tê-las apesar dos incríveis e exorbitantes impostos inclusos.

Naquela cabine eu, por menos que tenha estado lá, me senti sufocar, mas fazer o que se neste país, paga-se pra nascer, pra viver, pra morrer e até depois de mortos caso optemos por um túmulo o que não será meu caso, mas quem é supultado, precisa que a família mantenha o cantinho limpo e o mais aconchegante para que se possa visitar embora mesmo assim os vândalos ainda chegam à calada da noite para destruir tudo e de lá retirar os restos mortais dos nossos entes queridos até para vender no varejo. QUE LÁSTIMA! Aí está um país que não respeita seus filhos! Se isso não se tem em vida imagine depois de mortos! Felizmente para onde vamos muitos jamais saberão, a não ser àqueles a quem Deus deu o dom da fé e de crer que continuaremos vivos e sem a necessidade desse invólucro que deixamos debaixo de sete palmos de chão ou pedimos aos nossos entes queridos que ainda permanecerem aqui neste plano, para que os transforme em cinzas.

Mas toda essa conversa é pra dizer que já cumpri mais uma vez com esse ato que dizem ser de cidadania e que os que se elegerem recebam de Deus a luz para guiá-los nos caminhos que os levarão ao puder e de nós os que os elegemos, seja o que Deus quiser.


E VIVA O BRASIL!

Brasília, 03/10/2010