Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Que situação

Coisa triste quando alguém quer ser gentil nos dando um presente ou fazendo um favor que nos deixa em situação constrangedora. Presente errado é falta de atenção, me desculpe quem já errou. Tenho uma amiga que dá presentes para muita gente, sabe os aniversários, os gostos de todo mundo, nunca a vi errar com ninguém. Isso porque ela se importa, é atenta e presta atenção ao que todos falam, cada detalhe que é importante. Quando tenho que dar um presente para alguém da família pergunto algumas coisas para não dar nada repetido e tentar agradar ao máximo, para garantir ainda coloco selo de troca, caso a pessoa prefira outra cor ou tamanho.

Presente é um ato de carinho e caprichar na embalagem, no cartão, é um complemento ao objeto que foi escolhido. Disseram-me uma vez que devemos abrir o presente na frente da pessoa que ofereceu, é um sinal de educação e cortesia, porém muitos não conseguem disfarçar a decepção ou aquela cara de “para que mesmo isso serve?” – o que é bem pior. Então fico na dúvida se o correto é proceder assim ou estar preparado para ser sincero.

Muitas pessoas fazem listas de noivos quando vão casar e escolhem na loja tudo que gostariam de ganhar, porém os convidados querem adaptar a escolha ao valor que pretendem gastar e ao seu gosto pessoal. O que é uma bobagem, gosto pessoal serve para comprar coisas pessoais.

Seguindo nessa linha, soube de um fato interessante por uma amiga de uma amiga minha, portanto não é seu parente, mesmo que o caso possa parecer igual. Essa tal pessoa recebeu um imenso gato para colocar na sala. Grande, preto, com olhos verdes. A encantadora pessoa que presenteou deve ter gastado uma nota, pois o objeto veio de uma loja requintada. Se não fosse um pequeno detalhe, que o apartamento dos nubentes era de um dormitório, e a sala mal dava para um sofá e duas cadeiras de aproximação, o gato poderia habitar um canto. Faltavam quantos e sobrava gato. O que fazer? Combinaram que o objeto ficaria na área de serviço, tapado. Se um dia a tal pessoa aparecesse ele ocuparia a sala temporariamente.

Não houve tempo, a diarista matou o bicho na primeira limpeza. Fato consumado, o casal resolveu dizer, caso perguntassem, que o gato tinha sido quebrado na mudança. A tal visita não aconteceu, mas a sogra dessa amiga tratou de comentar com a prima da moça de gosto felino que o gato fora quebrado. A tal moça ficou comovida e deu não apenas um para substituir, mas dois, um pouco menores.  Que situação!

Comigo também já aconteceu várias vezes. Ganho livros, já lidos, que o proprietário ou proprietária não gostou é claro, pois se assim fosse me emprestava, não dava. Aceito e coloco no meu balaio de livros do trabalho, muitas pessoas utilizam e pode aparecer um leitor que goste. Mais constrangedora é a frase que acompanha o referido livro: tu que gostas de ler, certamente vais aproveitar.  Ora, gostar de ler, não necessariamente que dizer ler qualquer coisa e um bom leitor tem seu gosto e critério.
Que situação!
Ana Mello
Enviado por Ana Mello em 03/01/2011
Código do texto: T2706437
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Ana Mello
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 58 anos
142 textos (25275 leituras)
2 e-livros (929 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/19 01:43)
Ana Mello