Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Minha dose de ilusão.

Há quem diga que precisamos nos despir de todas as ilusões para amadurecermos. Para alguns cépticos nenhuma crença é consistente, a não ser a que eles professam aos quatro cantos. Só crêem naquilo que podem enxergar.

Diante dessas pessoas tenho, às vezes, a nítida sensação de que sou extremamente pueril. Em algumas ocasiões vou me encolhendo dolorosamente na medida em que seus argumentos crescem.

Concordo que o processo de desencantamento é necessário ao amadurecimento e admito que até bem pouco tempo eu me esquivava da desilusão a todo custo. Não deu para continuar e enfrentei o que pude sem a visão cor de rosa que eu emprestava ao mundo.

Também ultrapassei a fase de negar sem sequer ouvir a outra parte. Hoje ouço, pondero, considero e me ponho de joelhos, até, perante as novas pretensas verdades.

Mas não me movimento bem nessa posição. Passado algum tempo ponho-me de pé outra vez e o que me ergue são as minhas crenças restauradas. Novinhas e bem aventuradas ilusões!

Se há inocência nas minhas fantasias, creio que também há um pouco de ingenuidade no pretensioso realismo. Em alguma coisa os cépticos convictos devem se sustentar, pois cá para nós, eu não conseguiria ir do começo ao fim da vida totalmente descrente. Se alguém consegue essa proeza que vá sem mim. Eu preciso de minha dose de ilusão.
Evelyne Furtado
Enviado por Evelyne Furtado em 09/06/2011
Reeditado em 11/06/2011
Código do texto: T3024235

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Evelyne Furtado
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil
974 textos (140417 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/05/21 00:50)
Evelyne Furtado