Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PEDAÇOS DE MIM





                   



                  PEDAÇOS DE MIM



Nos primórdios dos tempos, quando da criação do mundo, Deus disse: “crescei e multiplicai-vos”, fez isso como forma de convocação para que todos os homens e mulheres pudessem dar a sua contribuição para a necessária povoação do mundo.
Antes, porém não se esqueceu de dotar todos os viventes de um dispositivo necessário para que tudo isso pudesse acontecer. E foi assim que fomos agraciados com o código de herança genética, que nos permite transferir para nossos filhos toda as características hereditárias.
Tudo isso passa às vezes despercebido, não despertando em nós a importância que merece. Por vezes, somente percebemos, quando atingimos a idade da razão e da reflexão, estou certo de que isso se concretiza mesmo quando ultrapassamos a nossa meia vida, estou convicto de que seja mesmo aos cinqüenta. (tenho cinqüenta e seis...).
E foi num desses momentos em que me deparei a pensar: buscava em cada filho meu, o “eu” que lhe transmiti. E desta feita comecei a identificar paulatinamente em todos eles, pequenos detalhes que aos poucos fui identificando o Jales que está na Giselle, na Lorena e no Diego.
Quero crer que privilégio maior que este não poderia existir, poder mesmo antes de daqui partir, já me antever vivendo o futuro, pegando uma carona em seus corpos e mentes. Alguns, ao certo, não terão esse grande presente, visto que deixou passar pela vida a grande oportunidade de se fazer genitor.
Eu estou nos cabelos do Diego, na sua boa forma de tratar com as pessoas, na meiguice de suas atitudes, a até na sua maneira meio inclinada de andar.
Estou também na garra e determinação da Giselle, na sua vocação, (Vai ser médica), nos teus olhos, nas suas preocupações com a família, nas suas mãos, enfim, em tanta coisa as quais eu poderia aqui enumerar.
Eu também estou na meiguice da Lorena, na sua boca, no seu olhar me vejo com freqüência, nas suas atitudes me vejo sempre.

Que bom que eu posso me ver em meus filhos!
Sabemos ter pais que jamais se preocupou em estar com os seus!
Outros até fogem deles,
outros, até os nega a sua paternidade para sempre!






             Dr. Jales Paniago
                  (crônica)
              Sobrames-TO

Jales Paniago
Enviado por Jales Paniago em 13/02/2007
Código do texto: T380463

Comentários

Sobre o autor
Jales Paniago
Palmas - Tocantins - Brasil
9 textos (2193 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 27/09/20 16:01)