Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Tios

NÓS, OS TIOS!

Somos os grandes paparicadores dos filhos dos outros. Tratamo-los com carinho, amizade, raras vezes com firmeza, inúmeras vezes com adulações e incontáveis vezes com a postura de quem está aí, sempre à disposição deles para o que der e vier.

Somos responsáveis por eles quando os pais não estão presentes, e, irresponsáveis com eles em presença dos demais parentes.

Estamos aí para lhes estragar, fazendo-lhes as vontades e levando as necessárias broncas, por termos conseguido essa façanha.

Também quando algum adoece, somos os primeiros a chegar!

E eles vão crescendo e vão se tornando adultos, como nós. Só que nunca percebemos isso, não!

Quando começam a ter problemas na vida, de ordem sentimental ou existencial, ou ainda quando enfrentando incompreensão por parte de alguém, costumam recorrer a nós para ouvir um conselho, uma palavra de quase pai ou de quase mãe, palavra essa que conseguimos lhes dedicar, desde que estejam dispostos a nos ouvir, o que nem sempre conseguem fazer quando os pais lhes falam!

Às vezes os próprios pais nos incumbem de conversar com eles, visto que não estão conseguindo se comunicar de outra forma!...E assim vai passando a vida...

A gente se encontra nas festas de família, nas visitas, nos velórios, nos casamentos, nos Natais, nas formaturas...Ah! As formaturas...Quanto orgulho para os tios quase pais, ao verem um sobrinho se saindo bem! Quanta pirueta na cadeira até que o formando dê sinal de que nos viu na platéia...

Depois, eles se casam...Vêm os filhotes, nossos quase netos! Mais uma leva de gente pequena pra gente paparicar...E estragar...Que bom!

Mas costuma chegar o dia em que passamos a ser tratados de forma diferente...Com mais cerimônia...Como se fôssemos estranhos...! Ninguém mais pula no nosso colo pra nos abraçar; ao invés do beijo caloroso, estendem-nos a mão para nos amparar...Em vez de nos pedirem presentes, dão-nos conselhos...Visitam-nos formalmente...E só aí é que a gente se dá conta de que os nossos sobrinhos cresceram...Mesmo já sendo eles há muito tempo pais ou mães de filhos...Mesmo sendo eles doutores ou donas de casa; profissionais bem sucedidos ou aqueles que ainda estão tentando o sucesso.

E agente nem tinha se dado conta de que as nossas crianças já não são mais aqueles bichinhos de estimação que tantas alegrias nos davam em sua infância!

Lorelei
Enviado por Lorelei em 15/03/2007
Código do texto: T414260

Comentários

Sobre a autora
Lorelei
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 78 anos
16 textos (761 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/09/20 02:04)