Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Despertar

 

O Despertar

Acorda, Elza Maria.

Lá fora faz um frio como há muito não sentíamos... Há casacões e boinas enfeitando as moças nas ruas. Chocolate quente é toda hora pedido nas casas de lanche. O clima propicia encontros amorosos, aconchegantes.

Elza Maria, levanta dessa cama.

Tudo é transitório. Reage. Essas dores passam, as cicatrizes tornam-se tênues. Não penses que é o fim. É uma etapa. Já viveste tantas lutas e talvez mais difíceis. Por que essa intransigência agora? Por que dizes não?

Hoje fiz teus curativos e observei melhoras. A febre se foi... restou esse cansaço, bem sei.

Trouxe um ramo de flores que deixei na sala e um tercinho, lembrança de bisa quando eu ainda era criança. Coloquei na mesinha ao lado da tua cama. Olha e vê como ainda parece novinho.

Há olhos te espreitando. Olhos de amor, que te chamam para a vida!

Priscilla logo chega e com ela tua estréia como avó.

Acorda logo, Elza Maria.

Sem ti estamos tão sós, a vida é tão sem graça... Sequer coloquei o mantô que comprei em Manhattan. Achei um desaforo fazer isso sem estares por perto.

Sairemos juntas, em alto estilo. Coloca aquele comprado em Paris.

Acorda. Antes que venha o sol.





 
belvedere
Enviado por belvedere em 16/09/2005
Reeditado em 23/07/2015
Código do texto: T50932
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre a autora
belvedere
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil
223 textos (76516 leituras)
5 e-livros (1331 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/08/20 18:20)
belvedere

Site do Escritor