Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Doutor e o Mendigo

 Um empresário bem suscedido, chega a sua empresa, acompanhado
 dos seus seguranças, para mais um dia de trabalho.
 Ao descer do carro, depara com um mendigo, maltrapilho, deitado
 embaixo da marquize; Ele ficou enfurecido, pediu aos seguranças, que
 o tiresse e lavasse o local, dizendo: eu não gastei tanto, nesta
 fachada da empreza, para abrigar mendigos.
 Ele que vá se abrigar, em outro lugar.
 Enquanto os seguranças o arrastavam ele dizia bem alto: Doutor, eu
 só vim dormir, não quebrei nada, nem sujei. O Dr, não deu ouvidos.
 Os dias se passaram, o empresario, sempre prestando atenção, se o
 mendigo estava lá, pois ele havia dado ordens expressas neste
 sentido.
 Certa noite o empresário, já tinha dispensado os seguranças, estava
 em casa, quando lembrou, de uns documentos importantes, tinha que
 checar, se estavam guardados. Ele se preparou para sair, os filhos
 gemêos, também foram com ele.
 Chegando na empresa , ele percebeu, que tinha duas motos, do seu
 lado, os motoqueiros estavam mascarados, armados, anunciavam que
 era um sequestro eles só queriam as crianças, mais nada.
 O empresário estava apavorado.
 Enquanto isso, o mendigo, percebeu, de longe, correu avizou o
 guarda, ele acionou os alarmes os bandidos, assustados fugiram.
 O doutor agradecido, foi falar com o guarda, dizendo, que
 ele havia salvado, seus filhos, que ele iria ser promovido. O guarda
 respondeu: Doutor foi aquele mendigo, que o senhor expulsou, que
 correu, quando viu o doutor estava em apuros, para avizar agradeça
 a ele.
 O doutor muito sem jeito, constrangido, se dirigiu ao mendigo
 dizendo: Rapaz, vou lhe dar um emprego, uma vida nova, o que você
 fez, não tem dinheiro que paga.
 E assim aquele mendigo, que foi tão descriminado, pagou com uma
 boa ação toda humilhação que sofreu.
 Isso fez com que o doutor, repensasse, a respeito dos seus atos, e
 começasse agir de maneira diferente: dando mais atenção aos seus
 semelhantes.
 Por que nunca, sabemos o dia de amanhã.
ZuzuFigueroa
Enviado por ZuzuFigueroa em 18/08/2007
Código do texto: T613131
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre a autora
ZuzuFigueroa
Porto Velho - Rondônia - Brasil
1697 textos (352190 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/05/21 19:45)
ZuzuFigueroa

Site do Escritor