Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

História de São Luis do Curu

       E alguém disse:
       Haverá uma cidade quase insignificante. E ninguém entenderá o motivo e a exatidão de seu nome.
       Nascera um menino-poeta no antepenúltimo dia de agosto e ele escreverá: "Esse nome é familiar, marrom, negro, cheiro de casa, duro e miserável". E essa cidade será indecisa e sem noção, um dia aprenderá.
       O povo terá prefeitos e prefeitas espertos e salteadores, mas que em mil anos farão alguma coisa boa, afim de que o povo curuence se acostume. Os parentes dos líderes políticos vigorarão para que  o povo curuence se acostume com o que é errado. Os vereadores e vereadoras só existirão na hora de aparecer no palanque e no caixa para receber dinheiro. Para completar a desordem. O Curu será irmão do vendaval, ainda que mais calmo.
       E esse povo será esquecido e abandonado, povo curuence. Parece escrito, o Curu viverá da falta de amparo, para que pessoas o chamem de terra ruim.
       No vale se desenvolverá muita coisa, contudo São Luís do Curu viverá de cabides e feijão, amarão farras e gordura, curtirão músicas sem letra e perceberão tarde que a terra curuence é pobre demais e com muita gente indo embora para outro lugar.
       Assim será a terra do vendaval calmo, que poucos ou ninguém entenderá.
Leandro Ferreira Braga
Enviado por Leandro Ferreira Braga em 01/11/2017
Reeditado em 13/11/2017
Código do texto: T6159090
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Leandro Ferreira Braga
Fortaleza - Ceará - Brasil, 25 anos
82 textos (4603 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/19 19:09)
Leandro Ferreira Braga