Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

C a t i m b ó

Na adolescência sempre tive amigos "criativos", ou seja, moleques. Eu era um deles, mas o menos "criativo". Nem na molecagem eu me destacava, acho que sou mesmo um sem talento total. Era uma turma arretada. Sinto uma saudade danada daquela época, sobretudo das armações, mutretas, golpes...Sim, repito, golpes. Um deles foi o de catimbó. É inesquecível.

Aconteceu num dos momentos que a turma estava mais lisa que os bancos da praça. Doidos pra tomar um porre e não havia grana. Até os vidros de Biotônico Fontoura e Vinho Reconstituinte Silva Aaújo que um dos carinhas sempre descolava numa farmácia de um parente, acabaram. A gente liso bebe tudo até remédio. Ia esquecendo> tomamos um porre de xarope Bromil, imagine a caganeira. Bom, no meio daquela barra pesada dolizeu, eis que o sujeito mais criativo da turma descobriu que um riquinho do lugar, filho de endinheirado e que torcia a cara para a a gente, estava de molho, a namorada uma garota sapeca e ardilosa, parece que cansou da chatura dele e babau namoro. Ela se dava abe com a gente, mas sem compromisso, era apenas gente fina, legal. Bom, o cara bolou uma armação arretada. Sabia que na família do inconsolável almofadinha havia auma tendência para acreditar em catomb[o, coisa feita, despacho... Foi as contas, uma comissão foi a ele e disse ao sujeito que havia um jeito da sapeca voltar, mas era preciso apelas para uma entidade poderosa, inclusive fazer os competentes despachos. Que ra tiro e queda. O seujeito aceitou e começou a financiar os despachos. Nele entravam litros de rum, cerveja, cacahça, frango assado, farofa e uma mesa para a entidade. Era preciso colocar o despacho exatamente à meia-noite, mas sair imediatamente porque a entidade vinha buscar e não gostava de ser vista. Iam apenas os dois, o apaixonado e o armador. Ficou estabelecido 15 despachos. Votavam e davam no pé, só que escondido íamsos buscar o despacho e era aquela festa.

Mas o golpe do catimbó só durou oito dias, u guarda-noturno viu a armação e dedou ao pai do otário. Desnecessário dizer do nosso pesar, mas rimos muito. E o boato saiu na rua. Foi conversa para uma semana.

Mas não terminou aí, o danado é que o catimbó deu certo, a sapeca voltou para o otário. Nunca pensamsos que o catimbó desse certo, mais deu. Só que durou pouco tempo, logo ela enjoou do sujeito e começou a namorar firme com um funcionário de um banco e casou com ele.

Que saudfade do tempo que aplávamos até pro catimbó. Inté.

P.S. Hoje mandei a dieta pra tonga da mironga do caburetê e comi uma buchada num boteco do morro. E tomei umas lapadas. Ea asma não apareceu, pelo menos até agora. Mas estou com medo, nao da ressaca e rovável dor de barriga, mas da asma.
Dartagnan Ferraz
Enviado por Dartagnan Ferraz em 13/01/2018
Código do texto: T6225373
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Dartagnan Ferraz
Recife - Pernambuco - Brasil
3112 textos (75136 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/04/18 11:43)
Dartagnan Ferraz