Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


A atendente de sorriso constante e muita paciência...

- Senhor... Ei... SenhoÔÔrr...
- Hã, OI minha filhaaa!
– O velhinho devia ter uns duzentos anos... Falo sério! Não seria de admirar se tivesse sido casado com a Esfinge ou fizesse bico nos filmes do Chaplin.

Tinha aquela simpatia que só os muitos anos de vida podem proporcionar.

A moça mostrava o formulário com o dedo indicador.


- “Sexo”.
- Com VOCÊ?! Ownn, menina... Bem que eu queria... Mas eu não tenho toda essa consistência! Digamos que esse parquinho aqui, já foi substituído por vídeo games e notebooks, hihihi...


A moça totalmente sem jeito arrumou os óculos e prendeu uma gargalhada. Não podia perder a compostura.

- Não senhor... aqui ó! “Homi” ou “mulé”, GÊNERO, compreende?

- Humm... Curto um romance. Daqueles que vendem na banca de jornal. Dizem que é pornografia de madame, mas tem seu lugar.

Desta vez ela não riu, apenas deu um suspiro e revirou os olhos como quem percebe que aquilo não tem hora para acabar.

- Vamos adiante. Toma algum remédio?
- Posso tomar um Viagra... Se for isso que quer saber...
- Não. Não é isso que quero saber, senhor.
– Respondeu, ficando nitidamente irritada.
- Foi você que começou. – Ele deu de ombros.

A moça notou que algumas pessoas já tinham parado o que estavam fazendo para observar aquela conversa entre risos e cochichos.


- O que foi que eu comecei?!?!
- Toda a sedução... O joguete... FOI VOCÊ! Eu estava quieto no meu canto!


Algumas pessoas reagiram fazendo “humrum, É! “Foi isso mesmo! Eu vi!” Em defesa do pobre e assediado velhinho.

- Eu só perguntei o SEU SEXÔÔÔ!
- Shhhhh...!!! MAS MINHA MENINA!! Na minha época moça direita não dizia isso em voz alta! E pensar que você estava quase me conquistando.
- "Conquistando?" JESUS CRISTO...
- Pensou a pobre atendente de clínica esfregando as duas mãos no rosto.

- Você parece tensa, algum problema?
- Não, senhor... Apenas assine aqui, ok?
- Não.
- MAS PORQUE NÃO?!?!
- Nada de compromisso sério. Ainda estamos na fase da paixonite, bêibi...

 
Henrique Britto
Enviado por Henrique Britto em 24/01/2018
Código do texto: T6235554
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Henrique Britto
Salvador - Bahia - Brasil, 36 anos
1217 textos (14492 leituras)
4 e-livros (60 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/09/20 18:44)
Henrique Britto