Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Praia do Forte de São Marcos - Cabo Frio - RJ


Meu reencontro com o mar

O mar... maravilhoso, cercado em seus segredos e mistérios. Impossível não se sentir atraída pelas matizes verde-anil, pelas sensações, uma mistura de emoções indescritíveis.

A primeira vez que vi o mar não me recordo, afinal nasci em uma cidade banhada por ele, e cresci acostumada com toda a beleza daquele infinito.

A vida, porém nos trás situações inesperadas, e deixei o Rio, e o mar. Fui morar no interior de Minas, lugar onde a visão das montanhas, é tão vasta que até parece mesmo um mar, mar de montanhas, tal é a imensidão.

Muitas coisas se passaram, e por estas e outras tantas, fiquei anos sem ver o mar... sem ouvir o barulho das ondas, sem sentir a brisa, sem tocar o mar. Porém, de repente, sem nada estabelecido, surgiu uma oportunidade de estudo, em uma cidade, onde o mar está presente. Logo pensei, é minha chance de novamente ver aquele meu velho amigo.

Chegou o grande dia, a ansiedade natural da viagem, tomou conta de mim. Por longas 8 horas noturnas, estive dentro do ônibus, finalmente chegamos às 6 horas e 30 minutos em Cabo Frio. Louca para tomar um banho, que foi rápido, troquei a roupa correndo e nem desfiz direito as malas, queria logo rever o mar.

Pedi informações sobre a praia mais próxima, e com um pequeno mapa, desenhado pelo funcionário do hotel, andei por algumas alamedas, lindas diga-se de passagem, e finalmente já dava para ver, tinha ao longe uma cor diferente, que em contraste com a areia branquinha e o céu azul, sem nuvens, meus olhos nunca tinham visto desta forma. Era janeiro, calor, mas a brisa era gostosa e fresquinha.

Finalmente já estava na praia do Forte de São Marcos, me livrei dos chinelos e da saia, sentei na areia, e foi impossível segurar as lágrimas, era uma espécie de reencontro fazendo as pazes... neste momento me veio uma paz sem fim, lembrei do Nosso Criador, só Ele mesmo poderia ser responsável por toda aquela beleza de natureza, difícil de descrever. O mergulho nas águas calmas, tranqüilas e límpidas, selou o abraço do reencontro, me vi novamente criança, sorrindo nas águas deste mar.

26/08/2007


Esta crônica, segue o tema "...quando ele (ela) viu o mar pela primeira vez ..."ou "...quando eu vi o mar pela primeira vez...”, proposto no Fórum do “Recanto das Letras” – tópico: Crônicas. Porém, adaptei o tema conforme minha realidade.
Cláudia Zin
Enviado por Cláudia Zin em 26/08/2007
Reeditado em 26/08/2007
Código do texto: T624525
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cláudia Zin - http://recantodasletras.uol.com.br/autores/claudiazin). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cláudia Zin
São João Del Rei - Minas Gerais - Brasil, 50 anos
305 textos (40557 leituras)
3 e-livros (92 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/17 14:48)
Cláudia Zin