Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Palavra Solta – grilos e noites

Palavra Solta – grilos e noites

*Rangel Alves da Costa


A noite avança. Já perto da meia-noite. O silêncio ronda, a rua adormece, tudo parece inexistente. Mas ouço um grilo. Sei que não adianta ir atrás desse grilo ou procurar saber qual sua toca. O grilo sempre está, sempre cricrila, mas nunca é encontrado. Imagino até que seja como uma saudade. A saudade existe, a saudade está, mas não adianta ir atrás do motivo, pois ela apenas vem. Enquanto o grilo canta, a saudade também entoa o seu canto. Ouço o grilo, vejo a imagem da saudade, e apenas isso. Tudo tão próximo e tão distante. A única diferença é que o grilo depois silencia o seu canto e faz de conta que não existe mais. Até que a noite novamente chegue. Já a saudade persiste, entoando seu canto de noite e de dia. Agora mesmo ouço o grilo e sinto saudade. E sei que a toca da saudade é bem dentro do coração.
 

Escritor
blograngel-sertao.blogspot.com
Rangel Alves da Costa
Enviado por Rangel Alves da Costa em 11/09/2019
Código do texto: T6742983
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rangel Alves da Costa
Aracaju - Sergipe - Brasil, 56 anos
10126 textos (290128 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/09/19 17:13)
Rangel Alves da Costa