Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SAPATOS PERDIDOS

          Há três semanas atrás, aproximadamente, pude aprender algo maravilhoso com O Deus Criador e a professora vida. Um par de sapatos usado que eu demorei cinco mêses para pagar as prestações e, que por sinal gostava muito, desgastou os saltos e, procurei um amigo sapateiro aqui de Viana, o Sr. Oscar, para restaurá-lo, o que ele fez com maestria, porque é um excelente profissional e maestro na arte de consertar sapatos. O Sr. Oscar por ser meu amigo cobrou um preço de amigo para amigo pelo conserto, como se faz com os verdadeiros  amigos. No dia em que apanhei os sapatos, fiquei radiante de alegria, porque eles pareciam novos, saídos de uma loja. Eu que tinha dois pares de sapatos, sendo o que acabara de consertar para ir à igreja e a eventos mais importantes e, outro para ser usado exclusivamente para trabalhar. Habitualmente enfrento cerca de seis horas diárias de condução em função do trabalho, sendo três de vinda e três de retorna no percurso Nova Almeida-Viana, Viana-Nova Almeida, mas naquele dia foi um pouquinho diferente. Após apanhar os sapatos na sapataria do Sr. Oscar, resolvi apanhar um ônibus circular que faz a linha Universal-Viana na tentativa de ganhar tempo, porque compromissos urgentes estavam à minha espera naquele dia. Porém na tentativa de ganhar tempo, acabei esquecendo a sacola com o par de sapatos naquele ônibus. Ainda no mesmo dia, liguei para a garagem da respectiva empresa, mas a minha tentativa em recuperar o par de sapatos foi inútil. No dia seguinte fiz outras tentativas que também se mostraram inúteis. Em diálogos com alguns cobradores e motoristas amigos meus, eles afirmaram que é praticamente impossível se recuperar pertences de grande utilidade como sapatos, sombrinhas, sandálias e outras coisas costumeiramente usadas no dia-a-dia, afinal, vivemos em um país extremamente carente de tudo. Conformei-me com a situação e resolví encarar o que acontecera com uma outra ótica. Descobrí que O Deus Criador de todas as coisas resolveu presentear a alguém que necessitava mais do que eu, com o meu par de sapatos reformado. Quem sou eu para reclamar com O Deus Criador de todas as coisas?  Se é Ele quem me empresta tudo o que tenho, até mesmo o ar que eu respiro!
          Para não ficar somente com o par de sapatos que uso para trabalhar, procurei a mesma loja de um amigo meu, pertencente ao Sr. Jadir Primo e, assumi uma prestação mensal de R$ 37,80 (trinta e sete reais e oitenta centavos) e levarei mais cinco mêses para pagar outro par de sapatos exatamente igual ao que O Deus Criador resolveu presentear a alguém que naquele momento estava muito mais necessitado que eu de ficar com aquele par de sapatos. O preço dessa grande lição de vida que O Deus Criador e a própria vida me ensinaram foi de R$ 189,00 (cento e oitenta e nove reais) divididos em cinco parcelas, porém o preço é insignificante diante da lição aprendida. Obrigado Deus Criador! Obrigado mãe vida!... Pela maravilhosa lição de vida tão grandiosa que eu pude aprender.
               
Antonio Alves
Enviado por Antonio Alves em 04/10/2007
Reeditado em 04/10/2007
Código do texto: T680023
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Antonio Alves
Serra - Espírito Santo - Brasil, 55 anos
4711 textos (116745 leituras)
10 áudios (3165 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 20:15)
Antonio Alves