Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Mulher

Um dia, dona de casa buscava lenha.
Ao cortar galho de árvore tombada,
seu machado caiu no rio.
A mulher por ajuda de Deus empenha..
Ele apareceu e perguntou:
— Por que você está chorando?
— Meu machado no rio afundou.
E Deus do rio tirou um machado
com cabo de ouro, e perguntou:
— É este seu machado?
A nobre mulher respondeu:
— Não, Deus, não é esse.
Deus entrou novamente no rio.
Tirou machado com cabo de Prata:
— É este o seu?
— Também não, respondeu a dona de casa.
Deus voltou ao rio e tirou machado
com cabo de madeira, e perguntou:
— É este teu machado?
— Sim, respondeu a mulher, muito grata..
Deus gostou da sinceridade patente.
E mandou-a de volta para casa,
dando-lhe os três machados de presente.
Um dia, a mulher e seu marido
estavam passeando no campo
quando ele tropeçou e caiu no rio.
A mulher suplicou a Deus por ajuda.
Ele apareceu e perguntou:
— Mulher, por que você está chorando?
— Meu marido caíu no rio.
Imediatamente Deus tirou do rio
o Rodrigo Santoro, e perguntou:
— É este seu marido?
— Sim, sim, respondeu a mulher.
— Mulher mentirosa!!! exclamou. Deus,
Mas a mulher rapidamente se explicou:
— Deus, perdoe, foi um mal-entendido.
Se eu dissesse que não, então
o Senhor tiraria o Gianecchini do rio;
depois, se eu dissesse que não era
o Senhor tiraria meu marido;
e quando eu dissesse que sim, era ele,
o Senhor mandaria eu ficar com os três.
Mas não sou mulher de trigamia
e não fico com nada que não é meu.
Só por isso eu disse ''sim'' para o primeiro deles.
E Deus achou justo e o perdão lhe deu.
(Recriação literária)
José Lindolfo Fagundes
Enviado por José Lindolfo Fagundes em 18/10/2007
Reeditado em 18/10/2007
Código do texto: T699142
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Lindolfo Fagundes
Divinópolis - Minas Gerais - Brasil
8 textos (938 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 21:04)