Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

                                    foto de Rubem de Almeida


                     Babaca!?!....


Rosa Pena

 

 

 

A pergunta de Marta, minha sobrinha de vinte aninhos, veio seca e magoada:

 


Você já se apaixonou por um babaca?


Sim e não. 


 Como assim?


Eu achei que estava apaixonada até descobrir que o cara era um babaca. Se eu achei é porque não me apaixonei. 


Sentiu vergonha dessa quase paixão?


Vergonha não! Senti-me mais babaca que ele. 


O seu babaca era daqueles garotões sarados que se acham fodas ou um coroa galanteador que ainda não descobriu que é tio?


Coroa que pintava cabelo, mentia a idade e fazia o gênero galinha tímido.


Puts! Se fodeu toda.


Mais ou menos, não cheguei a mudar nada de minha vida por causa dele, portanto só perdi umas poucas noites de sono.

 

Ainda lembra muito dele?


Quando vejo o Renato Aragão às vezes lembro.


Eu quero esquecer que gostei de um cara que adora fazer piadinha no restaurante “já sei, que você adora salpicão”, aliás, ama falar de uma forma que todos ouçam. Um mico!


Grita no celular?


Sempre.


Ri escandalosamente e olha para os lados esperando a cumplicidade dos passantes?


Exatamente


Dirige com o braço pra fora?

 

Yes!

 

Na falta do que falar solta o óbvio: “essas nuvens escuras, esse ar úmido... vem chuva”, em vez de cultuar o silêncio?

 

Como você consegue acertar todas?


Babacas possuem manuais, mas a gente só lê depois que enguiçam, aliás, todo e qualquer manual só é lido depois da encrenca. 


 Mas como fui me apaixonar por ele?


Automação.


Ahã?!


Celular, portão, TV, forno, tudo atualmente é automático!


Mas coração?


Para não se ficar sozinho tecla-se o botão companhia. É a tecla chamada ficar.


E existe o botão esquecer? 


 Você já esqueceu, está reclamando é da falta de um amor de verdade.


E quando é que eu vou ter um?


Quando solidão for opção sua e você nem ouvir as buzinas-palpites que nos mandam fazer o que a moda pede! Quando sua cabeça e suas mãos estiverem realmente livres da automatização de emoções, aí você conseguirá aplaudir e abraçar seu homem de fato.Ele pode ser babaca pro mundo, pra você não! Babaquice na paixão vira mania. Riso escandaloso passa a ser alegria declarada.


Amor é a perda total de controle e não vem com manual explicativo! E eu juro que se ele gritar no celular que te ama, você não vai achar mico. Vai gritar, mais alto que ele, que adora seu salpicão. Cachaça vira champanhe e cacto vira água de coco camará! Afeto se bebe até a última gota e ainda deixa sede!

 

 

 

 

 

Obra completa em meu site pessoal.Clique em:
www.rosapena.com

Rosa Pena
Enviado por Rosa Pena em 24/10/2007
Reeditado em 16/09/2008
Código do texto: T707875
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Rosa Pena
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
973 textos (1559041 leituras)
48 áudios (24816 audições)
33 e-livros (29827 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/17 20:23)
Rosa Pena

Site do Escritor