Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Deixe o amor acontecer

Assistindo recentemente a um programa esportivo de televisão, vi uma reportagem que me chamou muito a atenção.

Um atleta possuía um problema físico de infância nas mãos, nada que o impedisse de integrar a Seleção Brasileira Paraolímpica, pois ele era corredor. Após uma série de exames, surge a boa notícia, tudo bem com o ele, que finalmente poderá ingressar junto aos outros atletas treinando para as Paraolimpíadas de Pequim.

Ao falar de sua dura infância no sertão nordestino, ajudando a mãe na lavoura, pois o pai os abandonou desde que ele se entendia por gente; foi quando ele declarou que precisava fazer uma coisa urgente, e publicamente disse emocionado: “Mãe eu te amo”. E afirmou para o repórter que nunca em sua vida tinha dito isso a mãe.

O repórter então resolveu reuni-los e o levou a se reencontrar com sua mãe. Chegando lá, filho e mãe assistiram à reportagem juntos, e o filho fez a tão bela e simples declaração pública a sua mãe. Ao ver a reportagem a senhora se emocionou e disse: “Eu nunca abracei meu filho”. E o primeiro abraço juntamente com o “Eu te amo” surgiu como um maravilhoso presente. Aquela mãe tão simples e orgulhosa de seu filho, aquele filho tão agradecido e feliz por tê-la com mãe.

Que emoção, que coisa maravilhosa poder ter presenciado aquela cena, que com toda a certeza, ficará marcada em minha memória.

E comecei a pensar, até que ponto a vida nos afasta das pessoas que mais amamos. O cansaço era tanto que a noite chegava e aquela mãe e aquele filho só queriam dormir. E no dia seguinte precisavam acordar e trabalhar; e assim sucediam os dias. Foi preciso quase 30 anos para que uma declaração e um abraço acontecessem. Mas ainda bem que aconteceu.

Não deixe nunca que o cansaço, a vergonha, os problemas, e mesmo a distância, os afastem de seus pais e de seus filhos. Sempre crie os momentos entre vocês, uma conversa, um telefonema, uma carta, um e-mail, enfim alguma forma de se comunicar. A quantidade de tempo não importa, o que importa é a qualidade de tempo vivida e dispensada a quem te ama e a quem você ama.

Diga sem medo, sem vergonha, sem receio de se emocionar:“EU TE AMO”. Beije e abrace seu ente querido (seja mãe/pai, filha/filho, irmã/irmão, amigo/amiga, esposa/marido, avó/avô, etc) mesmo que ele aparentemente rejeite, abrace e beije mesmo assim. Se as lágrimas vierem deixe que elas corram. Se o sorriso vier, deixe que ele brote. Deixe que a magia do carinho aconteça. Deixe que o perdão se aposse de sua vida. Deixe...deixe... deixe... deixe o amor acontecer.

Só nunca deixe que seja tarde demais para tudo isso.

24/10/2007
Cláudia Zin
Enviado por Cláudia Zin em 24/10/2007
Reeditado em 27/10/2007
Código do texto: T708334
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cláudia Zin - http://recantodasletras.uol.com.br/autores/claudiazin). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cláudia Zin
São João Del Rei - Minas Gerais - Brasil, 50 anos
305 textos (40602 leituras)
3 e-livros (92 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/17 09:17)
Cláudia Zin