Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O DIA DO FICO E O DIA DO SAIO

O DIA DO”FICO” E O DIA DO “SAIO”


                                 Saveco


Contam-nos os livros de história que no dia 09 de janeiro de 1822 D. Pedro I foi a público dizer que não se retirava do Brasil como a Corte portuguesa exigia, proferindo a seguinte frase    “como é para o bem de todos e felicidade geral da Nação diga ao povo que fico”. O dia ficou marcado como o início do processo de nossa independência que ocorreria oito meses depois.

Com o ”dia do fico” o Brasil passou a desenvolver-se, elaborou a sua primeira Constituição e se tornou uma Nação livre de Portugal que o utilizava como colônia.

Hoje, 185 anos após poderemos ver a repetição do fato de forma inversa, protagonizado não por um Imperador, pois vivemos uma república presidencialista, mas pelo presidente do Senado Federal.

Bombardeado por uma seqüência de denúncias de corrupção e falta de decoro parlamentar, o presidente do Senado vem insistentemente dizendo que não sai e não se afasta da posição cobiçada que ocupa. Decorridos mais de quatro meses do início das acusações e defendendo-se de todas as formas. o Senador chegou ao ponto de exaustão e de desgaste jamais vistos.

Pressionado pela mídia e pela vontade popular os parlamentares da Câmara Alta resolveram atender o que a população deseja: a saída do presidente do Senado. Como o presidente insiste em não desocupar a cadeira preferindo a muito custo licenciar-se por 45 dias, os Senadores decidiram que vão obstruir qualquer votação enquanto o presidente ocupar o cargo.

Não desejo julgar o mérito das acusações que pesam sobre o presidente do Senado, todavia, a sua permanência no cargo está prejudicando a governabilidade da nação brasileira que ficará estagnada sem o trabalho do parlamento.

Sabemos que para ocupar cargo de tamanha relevância, o agente público deverá ostentar uma honra ilibada e sem máculas. Ainda que todas as acusações não sejam verdadeiras, percebemos que o presidente perdeu o respeito e a moral para dirigir a Casa.

O que mais ouvimos e vemos nos programas jornalísticos são relatos de corrupções, comportamentos desonestos e falcatruas dos nossos representantes públicos e ao final nada acontece. Isto favorece a que alimentemos a posição de que as acusações procedem e não são simplesmente um jogo político; “onde há fumaça, há fogo”

Assim como D. Pedro teve a coragem de, em benefício da Nação; permanecer no Brasil, o ilustre Senador deveria ao bem do Brasil ter pelo menos um ato de heroísmo pela pátria proferindo a mesma frase, modificando apenas o verbo e dizendo “como é para o bem de todos e felicidade geral da nação diga ao povo que saio”

Esperamos que com a atitude, o Brasil retome a sua trilha de glória e sepulte para sempre a vontade dos políticos de ocuparem os cargos para se locupletarem.

Ficaremos todos agradecidos e a Nação livre dos indesejáveis.
SAVECO
Enviado por SAVECO em 26/10/2007
Código do texto: T711087

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
SAVECO
Salvador - Bahia - Brasil, 61 anos
6 textos (319 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/17 06:53)