A rigor, brasilidade significa o caráter ou qualidade peculiar do que ou de quem seja brasileiro. O país é composto por várias etnias, por diversas forms de expressões, representadas por diferentes grupos culturais e que manifestam suas identidades das mais diferentes ações, tais como arte, teatro, dança, ritos, música, pintura, culinária, vestimentas, símbolos e literatura. Por ter uma dimensão continental, o país é pródigo em diversidade. Assim, a cultura popular enquanto projeto identitário forma-se a partir da memória e da preservação do conhecimento.

O lento e doloroso processo de construção histórica da identidade brasieira apesar de ter se iniciado em 1822, com a independência, sofreu maior impulso a partir da década de 1930, quando Getúlio Vargas chegou ao poder. E, pôde-se perceber que o processo cultural é também um processo político. Razão tinha Nelson Rodrigues que afirmou que o brasileiro sofre do complexo de vira-lata. Pois, devido a grande mistura de contribuições recebidas, o Brasil se traduz em ser "sem raça definida" ou SRD.

A língua portuguesa seria, portanto, um elemento comum que constitui a cultura nacional. Anos mais tarde, ainda no âmbito da literatura, com o surgimento do romantismo buscou-se igualmente contribuir com a construção da identidade brasileira. E, as obras de José de Alencar foram bom exemplo de aliar a imagem de nação às suas belezas naturais, como também meio de mitificação do indígena como componente protagonista da nação brasileira. Tal trabalho literário e cultural buscava criar interpretação genuinamente brasileira e afastada das influências estrangeiras. Foi o esforço nacional do Estado com a difusão da cultura brasileira comum após a Revolução de 1930 que representou novo momento de centralização política, auxiliado pela criação de instituições que pretendiam uniformizar as práticas administrativas, tais como o Ministério do Trabalho e a política de oferecimento de uma educação básica comum.

Getúlio Vargas também através dos então novos meios de comunicação, especialmente, o rádio, procurou difundir a cultura nacional de forma uniforme e angariar representação cultural do samba, do futebol e da culinária. E, no exterior, existiu a tentativa de criar a imagem da cultura brasileira, da qual Carmem Miranda é sua principal expressão.

À guisa de exemplificação, e como forma de melhor compreender a cultura brasileira, expomos dez obras literárias, a saber:  "O cortiço" de Aluísio de Azevedo,  "Dom Casmurro" de Machado de Assis, "Macunaíma" de Mário de Andrade, "Grande Serao: Veredas" de Guimarães Rosa, "Triste Fim de Policarpo Quaresma", de Lima Barreto,  "O Guarani" de José de Alencar, "Navalha na Carne" de Plínio Marcos, "Os Sermões" de Padre Antônio Vieira, "Inocência" de Visconde de Taunay, e, "Reinações de Narizinho de Monteiro Lobato". Nesse contexto, cabe consignar as contribuições de Tarsila do Amaral, Cartola ou Angenor de Oliveira, Cazuza (Agenor de Miranda Araújo Neto) e Jorge Amado. 

Enfim, pode-se concluir que pelos diversos elementos, obras literárias e musicais, questões históricas e sociais, pela abundância de recursos da natureza e os próprios artistas brasileiros são os responsáveis por criar e manter a brasilidade viva e perpetuá-la pela cultura popular e toda cultura brasileira. 

GiseleLeite
Enviado por GiseleLeite em 03/07/2022
Código do texto: T7551625
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2022. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.