Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DOM QUIXOTE E DOM CAPPIO

DOM QUIXOTE E DOM CAPPIO
                 Saveco

Conta-nos Miguel de Cervantes a história de um corajoso fidalgo espanhol que para provar o seu amor à Dulcinéia Del Toboso, sonhou fazer justiças no mundo. Surgiu assim o fictício dom Quixote de La Mancha que recorreu a uma enferrujada armadura, fez uma viseira de papelão, montou em seu decrépito pangaré “Rocinante” e foi enfrentar os inimigos.

Em sua luta inglória, dom Quixote convenceu a um ingênuo e pobre lavrador - Sancho Pança – a ser o seu fiel escudeiro, garantindo-lhe êxito e posse de terras, quando abatesse os poderosos possuidores de terras. Então saiu dom Quixote a desafiar opositores:  avançando sobre moinhos de vento imaginando estar a lutar com cavaleiros poderosos e agredindo rebanhos de ovelhas, supondo derrotar inimigos.

Sancho Pança limitava-se a apontar, avisar e socorrer dom Quixote após as sucessivas surras que levava dos proprietários dos bens destruídos, dos pastores de ovelhas etc., mas não tomava nenhuma atitude  para demovê-lo da imaginação de que estava a vencer  batalhas.

No final da estória, após muito apanhar, dom Quixote, aceita um combate com o mais forte e bem preparado cavaleiro, sob o desafio de que quem perder teria que pôr fim à vida de cavaleiro andante e de ser opositor. O fidalgo é vencido, volta ao lar cansado. Despertando para a realidade de que não estava convenientemente armado, e que jamais lutara contra verdadeiros cavaleiros,  recolhe-se e morre como piedoso cristão.

Com todo respeito ao corajoso bispo, infelizmente, vejo essa sua decisão uma enorme semelhança com a história de dom Quixote.

Obviamente que são justíssimas suas razões e indignação diante do mal que o presidente Luis Inácio está determinado a fazer, não só ao rio, mas a todos ribeirinhos que em futuro próximo não terão água, pois o rio tornar-se-á temporário.

No combate anterior, há dois anos, onze dias de fome lhe custaram quatro quilos a menos, enquanto o seu opositor estava muito distante de seus protestos e para iludi-lo, enviou mensagem mentirosa, fazendo dom Cappio imaginar ter sido vitorioso.

Creio que dom Cappio está a usar equipamentos incapazes de derrotar os inimigos que estão insensíveis ao desafio. Embora esteja a lutar por uma injustiça ( a transposição do rio São Francisco), os seus opositores, bem armados cavaleiros,  estão distantes, nos palácios e escritórios a ordenarem o processo que matará o Velho Chico.

O presidente Lula, agora já não necessita de votos para reeleição e por isso mesmo, já declarou que está insensível e distante ao problema do bispo, antigo companheiro de campanha eleitoral.

O ministro Geddel, solicitou ao governador do estado da Bahia- Jaques Wagner – que coloque médicos à disposição de dom Cappio, para atendimento quando necessitar.  Bálsamo, evidentemente, dispensável  à quem está decidido a sacrificar-se.
Cabe a nós ribeirinhos, conhecedores de que o rio não suportará esta sangria, adotarmos posturas mais enérgicas frente aos numerosos inimigos que não estão apenas na mente de dom Cappio, mas, debochando da atitude altruísta e corajosa  do religioso.

Se não adotarmos uma posição mais firme, e deixarmos dom Cappio sozinho nessa luta, não conseguiremos modificar o curso da história, dando novo final à mesma. Dom Cappio será o dom Quixote e nós seremos o ingênuo e bonachão Sancho Pança.

A vida imita a arte!



SAVECO
Enviado por SAVECO em 03/12/2007
Código do texto: T762893

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
SAVECO
Salvador - Bahia - Brasil, 61 anos
6 textos (319 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/12/17 00:59)