Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SE LHE COUBER, VISTA A CARAPUÇA

 Saveco



Dentre as várias características que macula a condição humana, existe uma de completa repugnância, porquanto vir associada à várias outras deformidades de caráter. Refiro-me ao defectível vício da bajulação.

Quando presente na escola, causa nojo aos demais colegas verem o bajulador furtar-se aos estudos para alcançar boas notas, obtendo-as a troco de elogios imerecidos, premiações injustificáveis, exaltações descabidas e inoportunas aos professores. Normalmente, refém da indolência e da pouca capacidade intelectiva, recorre o malformado de caráter às essas práticas espúrias, infelizmente,  encontrando apoio de alguns poucos professores também possuidores do mesmo defeito.

Quando verificado no ambiente de trabalho, o bajulador espalha a desarmonia, cria a insegurança e dissemina a covardia. Para angariar melhores salários, ascensão a cargos e destaque, o bajulador não se furta à prática do dedurismo e propagação de eterno amor ao chefe e à repartição, esquecendo-se de que apenas vende a sua força de trabalho. É de imediato identificado, pois está sempre desconfiado e será, inapelavelmente, afastado do setor ou despedido do emprego quando se tem uma administração séria.

Quando inserido no sistema político, e parece-me o melhor ambiente para sua atuação, o bajulador identifica-se pelas suas mudanças de opiniões sem claras explicações, além de buscar proximidade aos que obtiveram melhor votação, independente de suas convicções pessoais.  Por ser um sistema onde permeia o favorecimento e o clientelismo, o bajulador vê-se em terreno fecundo para agir e semear sua aptidão, atuando com desenvoltura. Não hesita em comportar-se como trânsfuga e muda de partido com facilidade.

Em suma, identificamos e temos os bajuladores em todos os espaços de convivência social, desde aos ambientes de pequenos significados, aos que possuem grandes cargos de elevada estima e poder.  Como é uma deformidade de caráter, este vício está associado à frouxidão, falsidade, covardia, inaptidão, delação e complexos de inferioridade.

O episodio da vontade do presidente da república efetivar a funesta transposição das águas do Rio São Francisco, mostra com clareza insofismável a presença de alguns desses  abjetos seres na política nacional. Outrora, diziam serem contrários ao projeto e de um dia para outro, mudaram de opinião ao serem contemplados com cargos públicos oferecidos pelo chefe da Nação.

A mudança de posição de alguns políticos que, quando em campanha, apregoavam ter conhecimento do projeto e que por isso, eram veementes contestadores à execução é de envergonhar a todos.

Todos nós sabemos que a mudança deve-se a trocas por cargos públicos, os quais, o governo anda distribuindo à quem o apóie, e não por ter estudado melhor, como nos querem fazer acreditar. Os estudos técnicos de cientistas mundiais ratificam o erro do programar não foram alterados.

Preferem esses políticos, voltarem as costas ao povo que os elegeram, em troca de migalhas por um cargo passageiro, que construir a imagem de pessoa íntegra e de caráter.

Aos que assim estão a proceder e nos traíram, só temos que lamentar e esperar o tempo passar, pois não serão perpetuados nos cargos. Contrariamente, seus nomes estarão, eternamente, presos a alguns adjetivos que costumamos chamar aos que assim procedem: bajulador, chaleira, puxa-saco, lambe-botas, adulador, lambeteiro, sabujo, xereta, baba-ovo,  cafofa, xeleléu,  xepeiro.

Que vistam a carapuça, os que ela lhes couber!

SAVECO
Enviado por SAVECO em 03/12/2007
Código do texto: T762900

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
SAVECO
Salvador - Bahia - Brasil, 61 anos
6 textos (319 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/17 18:15)