Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

"HUMANIDADE"


Quanto mais observo menos entendo os homens, as coisas que estão acontecendo no Brasil e no mundo inteiro, às vezes penso onde foram parar as palavras do Senhor de todos os homens:
“Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei”, parece que as palavras “amor, respeito, honestidade” perderam o sentido neste mundo globalizado, elitizado onde o que conta é o tamanho da sua conta bancária e a cor da sua pele, e em alguns casos a religião.
Esse negócio de dizer “eu te amo” ficou tão sem sentido que esta apenas agregada aos relacionamentos amorosos, ou melhor, alguns nem tão amorosos assim, não se vê mais nenhum respeito pelas pessoas idosas ou não, por crianças e mulheres, o importante é você ser “esperto” é ter a “justiça” na palma da mão.
Quando assisto o jornal me arrepio com as noticias, e me pergunto “Voltamos ao tempo da escravidão?”, vejo “Leis” sendo criadas para beneficiar quem um dia jurou diante de um povo ser leal, honesto, humano, mas o poder corrompeu a dignidade extirpou a honestidade liquidou qualquer vestígio de “humanidade”. Nossos “justiceiros” que usam terno e gravata, que se “arvoram” “juízes” que se aposentam com salários “irrisórios” e que garantem que os aposentados com um salario milionário (note-se é o salário mínimo!) estão quebrando o País.
Penso na Constituição Federal que foi severamente atropelada, destroçada por esses “senhores” da justiça, vejo a imagem de um soldado com crianças (brancas e ricas é claro) fazendo pose para ser fotografado, e em outra um soldado revistando a mochila de um estudante (negro é claro), sem contar de questões de um vestibular que é de deixar qualquer pessoa (decente é claro) de cabelo em pé.
Os paladinos da justiça se apresentam diante das câmeras de televisão e enche a boca para falar do combate a corrupção, aos traficantes, enquanto se é descoberta contas milionárias na Suíça, esses “senhores” que estão dilapidando o País, que estão vendendo as suas riquezas e o povo  para uma escravidão moderna com uma “liberdade” de morte. E apresentam uma propaganda pedindo que se fotografe o Brasil que você quer.
Senhores, o Brasil que queremos é um Brasil de igualdades, onde as pessoas possam andar livremente, tenham direito a moradia, saúde e educação, onde os índios os negros não usem mais grilhões, o Brasil que queremos é um Brasil com uma justiça verdadeira e limpa, sem manipulações ah um Brasil sem a “Rede Globo” também seria ótimo.
Maria Edith Faustino de Araújo
28/02/2018
Lia Araujo
Enviado por Lia Araujo em 28/02/2018
Código do texto: T6266781
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Lia Araujo
Ceres - Goiás - Brasil, 60 anos
20 textos (153 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/06/18 16:15)
Lia Araujo