Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Paradoxo da Existência

              Aquele garoto lépido que corria pelas ruas totalmente liberto, perdeu o papel de protagonista para o adulto claudicante que caminha pelas estradas hostis completamente preso ao destino. E o pior: tenho a sensação de que nada que eu fizesse mudaria a situação atual. Pois é este o preço pago pela vida. Queres viver, então morra.
Morra aos poucos. Perca primeiro a vivacidade, em seguida a espontaneidade e depois, quando adquirir ao longo do tempo o conhecimento, entregue as últimas energias em elucubrações à respeito da vida que nada mais fazem do que confinar a alma para despojá-la de sua essência. E então, quando nada mais lhe restar, comece a viver.
              Isto é a vida. É perder tudo que se tem para garantir um lugar entre os "vivos". Aquele que trabalha incansavelmente, sem tempo para a família, sem lazer e com o único intuito de enriquecer. Este morre aos poucos, mas "vive". Perde tudo que tem para viver.
E se escolhe o percurso oposto, trabalhar pouco ou nada, divertir-se sempre, não se preocupar com riqueza, enfim; viver intensamente, sem perder nada. Então, vive, mas em meio aos "vivos" está morto.
             Mas, o que existe entre a vida e a morte? Eis o caminho do meio, o perfeito equilíbrio. É esta a saída apresentada pelas religiões e pelos grandes mestres. Consiste em conhecer-se a si próprio a ponto de viver sem perder nada de si. É o que tenho perseguido incessantemente. Porém, sempre que transponho um obstáculo, outros milhares se apresentam e estou sempre no meio do trajeto à procura do verdadeiro caminho.
              Aquele garoto lépido do fundo do meu ser clama e é asperamente repreendido pelo adulto claudicante. E mais um dia se passa e preciso viver, então, morro. Nestas inúmeras mortes e renascimentos, construo a minha existência. Por mais que eu queira não ser, eu sou. Por mais que eu queira morrer, eu vivo.


Leandro Ferbatty
Enviado por Leandro Ferbatty em 28/09/2007
Reeditado em 01/10/2007
Código do texto: T672040

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Leandro Ferbatty
Bom Despacho - Minas Gerais - Brasil, 33 anos
40 textos (5460 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 08:37)
Leandro Ferbatty