Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POEMA ENTRE LINHAS

POEMA ENTRE LINHAS


Quanta inspiração cabe no poema quando a alma chora,
qual será o dilema, o que será que implora inquieta?
Em lágrimas roladas, em gotas a vida lavada aflora
e tantas outras derramadas são as letras do poeta.

O que será que o fio que escorre aos olhos pede
dos dedos um delicado toque que o console,
dos lábios alguns dizeres vertendo encanto,
ou apenas palavras que o pranto acabe em febre?

Quanta inspiração é preciso para o poema existir,
Que medida a dor em lágrimas parece verter,
Qual a verdade do riso, do pranto, do canto
Quão nobre será a poesia inspirada, em meu ser?


Dilapidada em murmúrios sussurrados ao vento
ou nas perjuras inacabadas de um amor prometido,
que por varias culpas e desculpas, não cumprido
dilacera e dilui os versos na dor do sofrimento,

Cabe ainda no poema alguma paz que se perdeu,
cabem saudades disfarçadas de lembranças,
ainda o desencontro do que não aconteceu, e,
a tamanha vontade oculta em cada desejo,

Cabe recordar cada sonho de criança inocente,
que se perdeu no tempo e passou a ser corrompida,
cabe a distância de todos os “adeus” doídos,
e, no meio de tudo, o quanto esquecemos de Deus.

(Gilson & Carol)

GILSON G SANTOS
Enviado por GILSON G SANTOS em 20/01/2007
Código do texto: T353683
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
GILSON G SANTOS
Cubatão - São Paulo - Brasil, 53 anos
1353 textos (127940 leituras)
2 e-livros (44 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/09/20 03:54)
GILSON G SANTOS