Talvez...Amor...

M.dc ( cara e coração )

Aqui neste banco sinto a brisa;
Pensamento vai ao longe,
Será que pensas em mim,
Se não desejas pra nós um fim,
Por favor, amor, responde!

As flores estão murchando
O frio é mais que intenso,
As lágrimas teimam cair
Por este vazio imenso.

A falta de ti me machuca
Eu já nem sei o que faço,
Pois ao tentar adormecer
Desejo-te nos braços.

Diga-me se sente saudade
Na hora de compor,
Confessa se possível
Que ainda me tem amor.

Mudarei o curso do rio
Programarei outra história,
Desde que venha comigo
Neste momento de agora.

Mas se tudo for passando
Em cada verso nao renascer,
Talvez eu faça reforma
Aceitando ti esquecer.


JAMAIS AMOR...
 
Maria de Fatima Delfina de Moraes
 
Jamais amor te permita,
assim entristecer.
A beleza está em sorrir,
pois dá mais leveza ao viver.
 
O amar tem feito coisas
que surpreendem os corações;
Liberta tua emoção de toda dor,
tristezas  ou decepções.
 
Mesmo em dias chuvosos,
o sol lá estará escondido,
mesmo com véus torrenciais,
mesmo com o céu nublado.
 
Amanhã será outro dia!
As rosas abertas
e flores nos jardins
sorrirão para você,
te farão pensar em mim.
 
E nesta linda paisagem,
estarei a lhe sorrir.
querendo matar as saudades,
da doçura deste amor
que eternizou-se em mim.




Interação do poeta Cara e Coração

Encontro já programado
o destino marcou
e o coração enfeitiçado
se entrega ao amor.

Que dure todo tempo
seja o instante que for
permaneça a cumplicidade,
o desejo de amor.
 
Poeta M.dc (Cara e Coração) e Maria de Fatima Delfina de Moraes
Enviado por Maria de Fatima Delfina de Moraes em 25/11/2016
Reeditado em 26/11/2016
Código do texto: T5835010
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.