Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NO INFINITO DE NÓS MESMOS!


Viver é um ato de complacência, uma ginástica de desapego e doação.
Passo a maior parte do meu dia observando pessoas, e acredito que o meu melhor, também já foi dedicado a ouvi-las, inclusive à terceira e agora já à quarta idade; fato que me leva a uma auto análise do que é caminhar pelo movimento do tempo,que também me carrega...
De repente o mundo envelheceu.
Tão de repente quanto uma inesperada miragem no espelho a conscientizar-nos de que não somos os mesmos, que algo mudou...e mudou muito.
A ciência e a tecnologia tudo têm feito para prolongar a longevidade, a qualidade de vida, a socialização, e aceitação cultural do idoso.
Mas, o que tenho me perguntado é se nós, seres em processo constante de envelhecimento, estamos sendo acolhidos e aceitos por nós mesmos!
Será que no tempo, aprendemos a nos desapegarmos...de nós?
Às vezes, penso que a resposta é... não!
A sociedade me parece neurotizar o envelhecimento.As pessoas acreditam que podem mudar o destino natural da vida, com fórmulas mirabolantes, pois simplesmente temem a rejeição.Parece uma fobia coletiva!
Mas ninguém segura o tempo, e a vida rola como um rolo compressor.
Ontem, alguém comigo desabafava o fato de ter trabalhado numa empresa por trinta e seis anos, e que dela fora desligado por telegrama.
Idade compulsória...para a aposentadoria! Estava inconformado, e com razão! Faltou ao menos...sensibilidade...
-Como?- “Se me dediquei a vida inteira àquilo tudo”?
Ocorre, que apenas nós sabemos disso.Para o universo, esse espaço holístico de tantos mistérios, somos apenas mais um.E passamos! Passamos como o vento que sopra sem ser visto, mas que, no entanto, faz erosões no tempo.
E é bom que saibamos disso, o quanto antes, para que modelemos as melhores esculturas!
Mas abaixo as expectativas de medalhas de condecorações!
Nossas histórias são nossas.
Nossos feitos apenas a nós pertencem. Nossas alegrias, nossos anseios, frustrações ou realizações vivem e morrerão conosco.O resto é apenas mídia, demagogia e racionalização.E enganação.Acordemos.
O prazer de seguir, está em constatar que vida é doação, desapego de nós, e finos ajustes ao que nos parece conveniente.E não há manuais a serem consultados!
Uma simples questão filosófica de adaptação às circunstâncias do tempo que nos é curto demais! E fazer o nosso melhor, mesmo que o mundo não o reconheça!
Fazer realmente a diferença, significa mudar o nosso cenário interior, a tempo, no nosso tempo, a nosso contento!
Portanto, a felicidade realmente é pontual e independente da idade.
É a plena aceitação de que nesse espaço, somos finitos no infinito de nós mesmos!
E pontualíssima, a medida que nos ensina a satisfazer as nossas expectativas  .
E quando a unidade é feliz, independente do tempo que lhe coube ou ao que lhe couber, o entorno engrandece, a embelezar o misterioso conjunto da caminhada...que se recicla a cada geração.

MAVI
Enviado por MAVI em 04/09/2007
Reeditado em 04/09/2007
Código do texto: T638129

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
MAVI
São Paulo - São Paulo - Brasil, 57 anos
5467 textos (343043 leituras)
994 áudios (87130 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 04:38)
MAVI