Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Ausência e o Silêncio

Agora dando seguimento a  exposição no museu imaginário o nome da exposição é " meus primos maternos ", o quadro que  a exposição se expõe 'A Ausência e o silêncio '.

Ausentar-se significa tardiamente viver pouco , nesta coluna irei refletir sobre a vida do meu primo materno Rubens, nesse caso a ausência gera uma enorme saudade em quem somente vive.

Usualmente viver para ele era simplesmente apagar incêndios ou incertezas naturais a todo mundo, sua presença irradiava normalmente felicidade ou segurança em família.

Sinuosamente nós guardamos boas recordações dele resgatamos assim sua presença outra vez é um bom raciocínio para toda família. Rubens traduzia esse pensamento de forma natural.

Em termos gerais, o cristão Rubens constrói um padronização da Cristandade Pentecostal em família, um retrato espiritual de  si  mesmo, uma verdadeira antropologia de si.

Naturalmente o  cristão Rubens busca realizar a conexão sinfônica de cada elemento da polifonia da vida em uma busca incessante e sonora, mas ainda falta algo.

Cabalmente Rubens vive o melhor que podia em muito pouco tempo traduzir essa mentalidade revela um certo grau de ansiedade para alcançar o seu melhor.

Ironicamente  as experiências vivenciadas por ele lhe  ajudam, apreciando mudanças possíveis em seu cotidiano que sucedem piamente.

As experiências são na verdade fatos alinhados em uma perspectiva narrativa traduzem uma ideia valorativa sobre a vida em geral,  Rubens entendia todos esses elementos tradicionais.

Ele ía sempre além do costumeiro cristão , tinha uma leitura constante e salutar da bíblia em seu cotidiano que lhe aprimorasse ao longo do caminho.

O primo Rubens aprendeu a zelar por sua fé  cristã reformada  a partir dos mínimos detalhes coexiste com a polifonia da vida  em muitos riquíssimos conflitantes.

Sabiamente viver exige um sério movimento do aprender ao longo da vida com erros e acertos complexos a margem da estrada , naturalmente el segue um outro caminho.

Inicialmente o silêncio poderia ser considerado como um formato de sabedoria para um mundo realmente barulhento desde a tenra Antiguidade Rubens entendeu plenamente que palavras deveriam ter seu momento para serem realmente ditas a pessoas certas.

Legalmente para o  primo Rubens expor sua opinião num espaço doméstico  exigia um certo vislumbre do que deveria ser dito e a quem deveria ser endereçado.

E o silêncio sempre exige alguma forma de observação dos elementos possíveis da vida  em uma sequência musical, seguida por notas baixas e altas.

Naturalmente, o primo Rubens aprendeu a viver com o    pelo puro e pleno silêncio ao longo da vida com os acidentes da existência .

Caminhar significa exatamente ver as asperezas do terreno por onde se deve passar ,  o primo Rubens aprendeu a encarar essas vicissitudes da vida.

Ironicamente aprender requer olhar essas duras partes do caminho e aprender algo bem importante para sua sutil polifonia de vida, e compreender a dimensão do caminho lhe propunha naquele instante de sua vida.

O primo Rubens aprendeu a lidar com esses muitos desafios conflitantes da vida que necessita de novidades e notas acerca de tudo que é novo para completar o sentido da existência.
JessePensador
Enviado por JessePensador em 15/11/2018
Reeditado em 15/11/2018
Código do texto: T6503493
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
JessePensador
Santana de Parnaíba - São Paulo - Brasil, 34 anos
280 textos (2890 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/02/19 07:28)