Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Algumas tristezas

Certas tristezas não se revelam, guardam-se por serem impróprias até mesma de serem lembradas. Tem sentimentos que lamentamos por serem dessa forma tão tristes e por nada podem ser compartilhados, somente saqueiam o peito e destroem a alma com arrependimentos inúteis.

Tristezas que são sentidas como humanos que somos e cometemos algo chulo e imperdoável a pessoas que no fundo não mereciam certos desatinos, mas por força de algo inexplicável são vítimas dessa insanidade de momento, ferem-se essas pessoas e ainda assim elas perdoam mesmo que seja, somente, pelo oficio de serem misericordiosas.

Tristezas que depois se transformam em vergonhas por algo ruinoso cometido que não se pode voltar atrás e desfazer o acontecido, posto que naquele momento pensava-se certo o cometimento e que não haveria arrependimentos. Essas obscenas coisas que se pensa, são justificáveis a si, mas inconcebíveis ao sofredor do descalabro.

Certas maldades, principalmente com pessoas ficam guardadas, e ainda que perdoadas não são esquecidas, permanecem adormecidas no quarto das lembranças tristes e prontas pra serem acordadas e novamente se entristecerem por entenderem que é sempre possível aquele que uma vez errou voltar a cometer o mesmo erro.

O mais cruel de todas essas tristezas é não poder esquecer, ainda que ao coração o conforto tenha chegado e viver com a forte ilusão que certos episódios da vida já foram por completo apagados. O que fazer com isso, eu não sei, talvez ninguém saiba. Ser altruísta é sempre muito complicado. Tristezas sentidas que não são extirpadas. Já ouvi dizer, somente o verdadeiro amor é capaz da soberana façanha, entender, esquecer e continuar amando. Será?!

_____________

Antônio Souza

Interação musical:


Música: https://youtu.be/UWrkhf5PpPw
Bom Dia Tristeza - Beth Carvalho
 
Bom dia tristeza,
que tarde tristeza
Você veio hoje me ver

Já estava ficando
até meio triste
De estar tanto tempo
longe de você

Se chegue tristeza
Se sente comigo
Aqui nesta mesa de bar

Beba do meu copo
Me dê o seu ombro

Que é para eu chorar

Chorar de tristeza
Tristeza de amar


(...)


================
António Souza
Enviado por António Souza em 20/11/2018
Reeditado em 20/06/2019
Código do texto: T6507311
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Antônio Souza - www.antoniosouzaescritor.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
António Souza
Manaus - Amazonas - Brasil
164 textos (9662 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/06/19 02:37)
António Souza

Site do Escritor