Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Comentário sobre a matéria "Ele se veste como cachorro e diz não ser humano; o que é um transespécie?"

(O link para a matéria comentada está no final do texto)

Nem todo mundo percebe, mas há a necessidade de que as pessoas não se sintam totalmente confortáveis com sua vida. A isso chamamos de zona de conforto, que é o sentimento que prende-nos ao que já temos ou somos, não necessariamente por não querermos algo diferente, mas por que nos parece mais lucrativo deixar as coisas como estão. Apesar de eu tentar explicar a zona de conforto, acredito que mais que isso é desnecessário, pois todo mundo conhece esse sentimento.

Não existe felicidade para os conformados. A própria sensação de poder fazer mais pode servir como impulso e parece para mim que a postura correta ante tal zona. Acredito que o mundo será difícil de qualquer forma, pois todos temos que passar pelo desafio supremo de saber que vamos morrer, não há como suavizar isso. Logo, pensando na relação de forças entre o mundo que oprime o ser e o ser que resiste à essa opressão, não existe porque procurar amenizar uma opressão que é inevitável, ou seja, tentar facilitar a vida de alguém é simplesmente tapar o sol com a peneira.

Desta forma acredito que a atitude correta é buscar formas de fortalecer aqueles que estão sob nossa responsabilidade. Como fazer isso exatamente ninguém sabe, porém modos de tentar suavizar o mundo, todas elas falhando miseravelmente, existem aos montes.

O caso das pessoas que serviram de base para a matéria aqui compartilhada exibe bem esta faceta. Todos sabem que o impulso do filósofo é sentir estranheza ao mundo circundante, entretanto surge nestes tempos pessoas que, ao invés de buscar o entendimento da realidade para posteriormente agir melhor, buscam adaptar a realidade para os seus sentimentos, lixando-se para o fato de que a sua percepção pode não estar correta.

Mais ou menos como alguém que tendo alguma opinião que ninguém concorda, ao invés de analisar a realidade para saber como as coisas são, teima na sua opinião sem nem analisar a hipótese de estar errado. Como dizem, a inteligência é a única coisa que não nos faz falta quando não temos, pois ela é auto-percebida.

Pior ainda, é incentivada por outras pessoas que ignoram um dos aspectos mais básicos da lógica, de que um homem não é um cachorro nem um E.T.. Se me parece estranho um homem tentar se identificar com um ser que não é possível ser, pior ainda se identificar com alguém do qual não se tem prova alguma de sua existência, identificando-se somente com seres imaginários.

Obviamente que estas pessoas são livres para portarem-se como querem, desde que não infrinjam a lei. Mas ao fazê-lo falharão quanto ao objetivo de apagar a dissonância entre o que eles são e o que pensam ser. Simplesmente estão perdendo tempo se o objetivo for este.

https://universa.uol.com.br/noticias/redacao/2018/11/30/ele-se-veste-como-cachorro-e-diz-nao-ser-uma-pessoa-o-que-e-transespecie.htm
Douglas Pacheco
Enviado por Douglas Pacheco em 30/11/2018
Código do texto: T6515660
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Citar autoria de Douglas Costa Pacheco). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Douglas Pacheco
São José dos Pinhais - Paraná - Brasil, 31 anos
69 textos (2893 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/02/19 10:47)
Douglas Pacheco